Pesquisar este blog

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Fim de semana começando...

Sabadão tem churrasco na casa da vovó Ôse para receber um querido mestre de capoeira, amigo nosso, que chegou semana passada do Canadá, e de repente ontem surgiu em Sorocaba para uma visita surpresa e repentina.
Mestre Jogo de Dentro, querido, amigo, super competente e maravilhoso no que faz. Ensina capoeira angola com muito respeito e muita sabedoria.
Pra quem não sabe, papai e mamãe da Luísa são capoeiristas. Aliás, a mamãe da Luísa conheceu o papai na aula de capoeira, há 12 anos atrás. Não foi amor à primeira vista, mas foi meu primeiro amor verdadeiro.
Por conta disso, carrego sempre uma frase:
"Agradeço à Deus pelo privilégio de amar alguém de verdade."
Porque um dia alguém me disse que não é todo mundo que consegue amar alguém de verdade.
*******************

E ontem, só pra constar, finalmente levei a Luísa assistir Shrek.
Após passeio da escola que ela não pôde ir, e depois de uma tentativa frustrada de levá-la e a fila estar gigantesca, conseguimos. Consciência tava pesando, porque ela só falava do Shuek, e mesmo com a maior dor de garganta e gripe que me pegou, decidi que não escaparia mais do compromisso. E vou dizer, ela super se comportou em sua estréia com a telona. Usou o óculos 3D, comeu pipoca e tomou "Cocóla", prestou atenção no filme, até os últimos 20 minutos antes do término. Aí não deu mais. De repente saiu do meu colo (sim, ela assistiu o filme no meu colo), e começou a bater na poltrona da frente, a querer andar por ali, zoar, e então decidimos ir embora.
Ficou um pouco com medo de algumas cenas, mas eu ia explicando a ela que o Shrek era bonzinho, que malvado era aquele pequenininho, e então ela foi relaxando. E vibrava quando a Fiona aparecia. Uma fofa. Achei ótimo o passeio. Valeu!
Chegou na vovó toda-toda, contando que "fui nu xinema assiti Shuek. A Fiona. Uma tilisão beeeeeem gande. Comi picoca, bebi cocóla. Uma dilícia."

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Educação Diferente

Lendo o blog da Ceila o post que ela fala sobre escola, educação Waldorf e etc, resolvi escrever sobre minha decisão de colocar a Luísa em uma escola convencional, já que também fui procurar uma escola Waldorf.

Visitei a Escola Waldorf Micael de Sorocaba, que é baseada na pedagogia Waldorf (leia mais sobre esta pedagogia aqui), mais ou menos em abril deste ano, após alguns fatos ocorridos na escola atual da Lú. Queria mudar, encontrar algo mais adequado à minha forma de pensar e educar, e como havíamos começado um tratamento antroposófico para tratar da alergia respiratória dela, a própria Dra. Elaine nos sugeriu dar uma passadinha na escola.

Bem, e o que vi lá foi, na minha opinião, uma realidade muito radical para as crianças. Pelo menos pra minha filha. Os brinquedos são todos feitos de madeira, as bonecas de lã de carneiro, tecidos naturais e algodão orgânico, os gizes de cera natural, e a alimentação extra super híper mega saudável e natural.

Como já disse algumas vezes aqui no blog, acho sim que as crianças devem ter uma alimentação certinha, e acho também que minha filha se alimenta bem, aqui em casa e na escola. Sempre preferimos o saudável do que a porcaria, mas RADICALISMO eu não quero pra ela!
Adoro essa coisa de reciclagem. Vivo separando latinhas de Nescau e Toddy e pensando no que dá pra fazer com elas. Mas se não tenho o que fazer, é lixo mesmo, fazer o quê.
Quanto à alimentação, não concordo que ela deva comer somente arroz integral, porque teríamos dificuldades pra sair com ela depois, almoçar na casa da vó, do vizinho ou quem quer que seja. Não quero que ela brinque só com brinquedos feitos com coisas naturais, porque os amigos dela não são assim, as lojas de brinquedos fantásticos e a tecnologia estão aí pra todos e mais uma vez, na minha opinião, seria uma judiação.

Eu tive a impressão de que as crianças lá na Waldorf são mais comportadinhas, o que já de cara não identifiquei minha filha lá. A menina é xereta, gosta de correr, gosta de pegar os brinquedos dos outros (rs)... e agora aprendeu a gritar - e muito alto - quando ouve uma de suas músicas preferidas.

Resumindo, achei tudo muito natureba mesmo, e assumo que o perfil da Luísa e o nosso são outros. Não somos pais 100% naturais, e não queremos que nossa filha seja assim. Me desculpe quem acha que estou errada, e podem discordar de mim. Seria praticamente impossível criarmos nossa filha numa educação 100% Waldorf.

Acho super legal e não discordo de quem consegue optar por isso. Só assumo que eu e minha família não conseguimos.

Ainda, a Waldorf tem suas aulas de sextas-feiras no Parque da Biquinha, as crianças num determinado dia da semana fazem o pão integral, e o objetivo da escola é deixar a criança brincar, porque brincando é que se desenvolve a inteligência e criatividade. É tudo muito legal isso, essa parte de diversão, de prática. Mas mesmo assim, foge ao nosso perfil.

Então resolvemos deixá-la numa instituição convencional mesmo, onde a alimentação é super saudável, mas tem dias que a regra é quebrada e as festas de aniversário e outras comemorações são recheadas de brigadeiro e pizza.
*******************

E finalizando aquele assunto do emprego que fui ver na semana passada, não deu certo.
Acho que a culpa foi da tinta amarela no braço. (rs)
beijos

Mãe Descabelando


Ai.
Acho que finalmente - ou infelizmente - cheguei na fase dos testes da Luísa.
Pensei que já havia passado por ela, mas tô vendo que ela tá só começando.
Esta semana tá f...!
Não sei se é devido à gripe dela, mas ela tá INSUPORTÁVEL!!
Desobediente, finje-se de surda, teimosa, chata, irritante!!
Agora sim ela teima comigo pra entrar no banho. Só me deixa tirar a roupa à base de chantagem.
- Vamos fazer um desenho bem bonito pro papai?
- Não.
- Ah, vamos! Deixo você usar duas cores então. O azul e o amarelo.
- Não.
- Vamos Lú, você tem que tomar banho senão sua periquita vai ficar coçando.
- Não.
- Vamos que eu deixo você usar todas as cores de tinta na parede.
- Não.
- Lu-Í-saaa, vamos tomar banho agora porque senão eu não te deixo mais assistir o dvd Diante do Trono, porque eu vou levar ele lá na casa do Gustavo e deixar lá pra sempre!!
- Ai, mãe, tá bom!

E depois a mesma ladainha pra sair do banho, e depois pra comer, e depois pra subir, e depois pra descer.
Juro que tento ser paciente, que tento não alterar a voz com ela, mas não tá dando! Pra não falar na minha vontade de socá-la de vez em quando.
Esses dias, desci as escadas com ela no colo, porque já tava de saco cheio de insistir com ela pra descer e comer. Sabe depois de ter que repetir a coisa umas 10 vezes até ela quase que entender. Carreguei ela e desci. Tomei um tapa e um mega puxão de cabelo.
Gente, confesso, que a raiva foi tanta, mas tanta, que dei-lhe um tapa na bunda (foi impossível evitar! Tudo bem, foi um tapinha que coçou, não doeu, mas foi um tapa), e não falei mais com ela por um tempo.
Depois que ela dormiu um pouco, conversei com ela, disse que tinha ficado muito triste com ela (nisso ela chorou) e pedi à ela pra nunca mais puxar meu cabelo.
- Diculpa, mamãe!
- Eu desculpo, filha. Mas não pode mais bater nem puxar meu cabelo, tá? Eu prometo que não bato mais em você, tá bom?
- Tá bom. Ti amu.

E ficamos de bem.
Mas vou contar, hein!
Jezúis, socorro!
Haja paciência!

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Socorro quero dormir

Imaginem do que é capaz uma mulher que está há duas noites sem dormir por causa da tosse da filha?
NADA!! Ela não é capaz de nada!! Não é capaz de comer direito, não consegue conversar com ninguém direito, não quer nada com nada. Não quer pensar que tem que preparar o jantar pro marido, nem quer pensar em dar banho na filha depois que ela chegou da escola.

Eu só queria cama.
Mas queria deitar e conseguir dormir.
Porque sabe quando você tá tão cansada que nem dormir consegue?
***************************************************************

Luísa chegou da escola e já está assistindo dvd.
E por falar nisso, comprei um cd novo pra ela, do Tempo de Brincar. Mais um. Uma belezinha o cd. Na verdade ele contém praticamente as mesmas músicas que tem no dvd que temos, mas com algumas músicas e narrações extras. Bem legal. Tem uma música chamada Brasil, que é linda linda!! Pra ouvir a música, clique no site deles. É a música da abertura.
*******************

Vovó Ôse e Malí foram buscar a Lú na escola pra mim. Fofa a felicidade dela porque a vovó e a Malí estavam aqui. "Vem, pefoal, bincá de massinha!".

terça-feira, 27 de julho de 2010

Diante do Trono

Passei a noite acordada por causa da danada da tosse da Luísa. Aí pra ajudar, como ela dormiu muito cedo ontem, mesmo dormindo muito mal durante a noite, acordou bem cedo, e enquanto eu tomava café no terraço, Luísa já armou o circo aqui na sala, colocou o dvd da vez (ainda o Diante do Trono, de Ana Paula Valadão), colocou na mesinha o fogão, as panelinhas, os talheres e disse que tava "fazendo o amôço". E assim, com tosse, seguiu nosso dia de ontem inteiro.

Mas quero falar sobre o dvd que "estamos" assistindo todo dia toda hora sempre sempre, socooooorro!!!! O Diante do Trono, como já comentei em algum lugar desse blog, é um dvd evangélico, que a Lú ganhou da Elen minha amiga, e que ela na verdade demorou pra descobrí-lo na gaveta. Hoje em dia é o único dvd que ela assiste dia e noite. Já sabe grande parte das músicas de cor e adora.

Fui criada dentro de uma educação evangélica. Minha família é toda evangélica, tenho tios pastores, mas não sou seguidora, nem frequento a igreja. Adoro, e confesso que pra mim é a única religião que me traz conforto quando preciso. Mas como eu e meu marido não temos o costume, mesmo assim eu gostaria muito que minha filha fosse na igreja, que tivesse um envolvimento com Deus maior do que eu tenho. Só que existe uma força maior em mim que não me deixa participar dos cultos, sei lá. Acho que falta de incentivo, de companhia. Ou vergonha na cara mesmo.

Por isso tô achando ótimo Luísa assistir esse dvd. Ela tá começando a me fazer perguntas, cantando músicas que falam de Deus e de coisas boas, curtindo pra caramba. E com isso eu acabo me envolvendo também, e aprendendo - vergoooonha!! Porque a Ana Paula Valadão canta e conta histórias da Bíblia. É muito bacana mesmo. Tem também os personagens Bia (de cabelos cacheadinhos, que a Luísa fala que é ela), o Ed, um bonequinho que tem uns óculos maiores que o rosto dele), o Bolota (uma bola de boné), o Vareta (que é um porta-lápis) e o Tonico (que é o macaquinho que a Luísa diz que é o pai dela).

Pra quem se interessa, o Ministério Diante do Trono tem um site exclusivo para crianças. Diante do Trono

Papinhas do Brasil


Passeando pelo blog da Crescer, achei uma promoção que adorei!
Concurso Cultural Papinhas do Brasil, promovido pela Crescer e Nestlé.
Você inscreve quantas receitas quiser de sua autoria e manda até o dia 12 de outubro.
Está aqui o formulário para participar.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Música, cultura e festinha na escola




Sábado teve festinha julina na escola da Lú. Olha ela com a professora, Tia Luíja. Muita Pipoca, doce de abóbora, de leite, de amendoim, muito refrigerante e pouco suco.
Luísa tava gripada, nariz escorrendo feito bica, olhinhos lacrimejando e chorosa.
E quando a gente tá assim, um pouco mais de claridade que o normal já não nos faz bem. Imaginem um sol quente. Imaginem um espaço não coberto.
Mas mesmo assim ela dançou duas das três músicas que havia ensaiado para apresentar. Uma fofa.
Música número um:"...baile na roça, meu bem se dança assim, pego na cintura dela, e ela atarraca em mim..." Acho que é isso
Música número dois: "...Ei, psiu, beijo, me liga..."

E aí vim pensando o fim de semana todo, e conversando com família, amigos, e marido. Diante de tanta diversidade maravilhosa de músicas infantis, tantos artistas famosos se dedicando a esse público exigente e interessado, tanta cultura brasileira, instrumentos musicais variados que aguçam o interesse e o desenvolvimento da criança, POR QUE, uma escola de educação infantil deveria colocar músicas para adultos, com letras para adultos, numa festinha voltada ao público super infantil?

Músicas ambientes da festinha:

"...ciumenta, pára de ser tão ciumenta, desse jeito nenhum homem te aguenta..."
"...aí eu bebo Pacarái, bebo Pacarái..."


Claro que tava todo mundo dançando, pais e filhos, nós e a Luísa, mas péraí.

Acho sim que essas músicas são legais em determinados ambientes (Festa de peão, da uva), confesso que dou umas chacoalhadinhas quando escuto esse tipo de música (em Festas de peão, em festa da uva...). Não que eu goste, mas é que me embalo, e daí, normal. E acho sim que nossos filhos têm que ouvir o que a gente ouve, o que a gente gosta. Mas em uma escola?
E se nessa escola tiver pais evangélicos, que não aceitam esse tipo de música?
E se nessa escola tiver pais conservadores, sérios?

O que me impressiona é a falta de cultura, ou de estudo, ou de envolvimento, sei lá, de coordenadores pedagógicos, que não se prendem à esses valores tão simples e tão ricos.
Assistindo o dvd Pé com Pé do Palavra Cantada, você percebe a riqueza cultural e de infomação que o grupo oferece à criança. E à nós adultos também.
E esse é só um exemplo, porque são milhares de grupos musicais investindo no público infantil. Estão aí, fácil, pra todo mundo ver Grupo Pererê, Adriana Partimpim, Tempo de Brincar, e muitos outros.

E gente, tá aí uma coisa que eu preso muito: cada coisa em seu lugar.
Tudo tem sua hora, inclusive aprender.
Se minha filha vai gostar de MPB, rock, brega, sertanejo, hip hop, sei lá, não importa. Sei que hoje, o que oferecemos pra ela aqui em casa é muita coisa boa. E vamos fazer isso até onde pudermos, sempre que pudermos.

Dia de Vovôs e Vovós e Meu Primeiro Selinho

Meu Vovô Pêto Minha Vovó Ôse Meu Vovô Bâco Bisa

Parabéns queridos da Lulú.
Obrigada por tudo o que cada um de vocês fazem por ela.
Amamos todos!

*********************


Geeeeeeeeeeeente, achei que NUNCA ia receber um selinho!! Que legal!! Que delícia!! Adorei!! Isso faz com que eu sinta mais vontade de escrever!!
Recebi da Pati, do Nutrição e Cia. Obrigada querida!! Você me iniciou nos selinhos e me deixou super contente num final de noite de domingo!! Beijos e boa semana!!

Existem mil razões pra eu amar ser mãe, e pena que só posso falar cinco delas, que talvez nem sejam as mais importantes, mas são as que eu tenho na cabeça e no coração nesse momento.

AMO SER MÃE,
- Pois descobri uma vocação que não sabia que tinha;
- Porque a melhor coisa do mundo de mãe é acordar no meio da noite com um abraço sonolento bem forte, um beijinho;
- Porque é maravilhoso você saber e sentir que é a pessoa mais importante na vida de alguém tão pequenininho e que depende tanto de você;
- Porque passamos a entender melhor a nossa mãe;
- Porque fui abençoada desde o primeiro dia da gravidez.

E minhas indicações são:
- Raquel, do Mamãe 24h
- Cris, do Meu filho, Minha vida
- Roberta, do Projetinho de vida
- Sut-Mie, do Viajando com Pimpolhos
- Carol, do Viajando na maternidade (Querida, o filhote melhorou?)

E para as muitas mamães blogueiras que tô seguindo, que estão me deixando comentários, e que tô amando!!
Super beijo

sexta-feira, 23 de julho de 2010

"Papai Luca, Feliz Vesálio"

"Quem disse que por trás da barba grossa e mal feita que nos arranha o rosto, não tem um coração moleque querendo brincar?

Quem disse que por trás da voz grossa, não tem um menino criativo querendo falar?

Quem foi que falou que aquelas mãos grandes e calejadas não sabem fazer carinho, se a filha chorar?

Quem foi que pensou que aqueles pés grandes e feios não deslizam suave durante a noite, para o soninho da filha cuidar?

Quem é que achou que no fundo do peito largo e forte não tem um coração de pudim, quando a filha querida se põe a chamar?

Quem foi que determinou que aquele cabelo cheio de trançinhas não sabe da vida, pra querer me ensinar?"
(Autora:M. Cristina Felipe)
(Adaptação: Minha)

Feliz Aniversário, Amor!
É por sua culpa que somos felizes todos os dias!
Amamos você, "amôo"!

Programação Disneymagem para o Fim de semana

Atores e bailarinos da Academia Imagem, de Sorocaba, apresentam o espetáculo musical Disneymagem, nos dias 23, 24 e 25 de julho, à partir das 19h, no piso superior do Sorocaba Shopping. Com uma hora de duração, cada sessão é diferente da outra. Aos sábados, por exemplo, o público poderá conferir Sininho e Peter Pan, Branca de Neve, Alice e o Jogo de Cartas, Pinóquio, a Princesa e o Sapo, entre outros. Aos domingos, é a vez de personagens como A Bela e a Fera, Cinderela, Irmãos Metralha e uma apoteose com as princesas da Disney. Na próxima sexta-feira, o público poderá conferir a magia das fadas-madrinhas, o Rei Leão, o Corcunda de Notre Dame, Aladim e Ariel, e a Pequena Sereia. A recepção é feita pelos astros da Disney: Mickey e Minie.

Sob direção de Lilo, 80 bailarinos e atores se revezam durante as apresentações, num show onde se misturam diversos estilos musicais, com figurinos ricos, que entram em sintonia com o cenário, a dança e o teatro. Muitos pensam que se trata de um espetáculo voltado apenas ao público infantil, mas não é só para as crianças, é para todas as idades.

A entrada custa R$ 8 (preço único). O Sorocaba Shopping fica na av. Afonso Vergueiro, 1.700, Centro.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Tem mãe que é mesmo retardada viu! Eu sou! Comprovei isso agora pouco.
Que sai pra fazer uma entrevista de emprego numa multinacional, se preocupa com a maquiagem mequetrefe que fez, e quando chega em casa, DEPOIS da entrevista, percebe que tá com uma puta mancha de pintura a dedo amarela BEM NO MEIO DO BRAÇO! Resultado da chantagem de hoje para o banho da Luísa.
Só faltava eu ter saído de casa de havaianas, o que é BEEEEEM comum também.
Ai ai viu!
Até o começo da semana que vem conto se deu certo o emprego ou não.
Beijos

Cortando papel

Nova mania da garotinha aqui em casa é cortar papel. Pois é, aprendeu a usar a tesoura, e acha o máximo cortar papéis bem pequenininhos e espalhar pela sala inteira. Fica lá um tempão entretida cortando sulfite e jornal.

Aí vem aquele papo de terça-feira sobre estresse e neurose por limpeza e organização. O negócio é: nem tô pra essa baguncinha!
E a grande jogada foi que Luísa teve a grande idéia de me pedir cola tive uma idéia imediata genial quando vi aquele monte de papel espalhado no tapete da sala. "Vamos agora colar todos esses pedacinhos numa folha branca e fazer uma obra de arte". Foi pura diversão..Luísa pegou um por um e me trouxe pra gente colar na folha.
Não tive trabalho algum, senão colocar pinguinhos de cola no papel pra ela.
Entenderam a dica?
Sem stress.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Primeira do dia

Gente, que delícia !! Luísa veio pra minha cama às 7:30 da manhã e lá ficamos, bumbum colado, até às 9:30.

Pausa pra falar que percebi que dormindo assim, grudada nela, de bumbum, ela dorme mais tranquila, não se mexe tanto, não fica agitada. Já pensou se a moda pega?

Hum? 9:30? putz....atrasei!! Vovô Preto vem buscar a gente às 10!!

Corre corre geral! Tava morrendo de fome e não conseguia nem pensar em fazer alguma coisa sem antes comer um pão com manteiga e tomar um leite com café.
"Escovar os dentes, lavar o rosto e trocar de roupa só depois se sobrar tempo".
Feito isso, acordei a Lú com o tetê na mão já. Ela abre os olhos e dá um super sorriso bem humorado.
- Filha, estamos super atrasadas. Vovô Preto tá vindo nos pegar já já.
E como sempre que nos atrasamos, a coisa engrossa e enrosca, claro que Luísa encrencou pra terminar o tetê e entrar no banho...aff! Um suador!! Mas conseguimos.
Então fui secá-la no quarto, e nisso, a figura olha bem dentro dos meus olhos e diz:
- Mamãe, tem uma mamelinha no seu lôlo. Tía, mamãe?
E eu morrendo de rir por dentro.
- Ah é, filha. Tira você pra mim a ramelinha do meu olho, por favor.
- Eu não, mamãe, vai xujá mia mão.

********************

E ontem, vergonha de falar isso, suando também pra colocar o pijama na Lú, e já irritada, claro, ela ainda vem e me dá um soco, sem querer, no meu ombro.
- AAAAAAi mêeeeeu!! Eu disse com cara feia e expressão de dor.
E ela, me imitando:
- Aaaaai mêeeu, caceeeete, vá cagá, mamãaaaae!!

Pausa pro choque.

Vou explicar agora.
O cacete é o seguinte: euzinha sempre fui muito desbocada, até nascer Luísa. Aí parei mesmo de falar palavrõezinhos e palavrões, sempre procurei me policiar, principalmente na frente dela, porque vâmo combiná, não é legal.
Mas....o cacete sempre foi um problema pra mim. Sempre escapou da minha boca, e quando via, úi..já tinha falado. Até que um dia, Luísa abaixa pra pegar alguma coisa que cai no chão e diz?
-Cacête, mamãe!
Depois de muuuuito pedir pra parar de falar cacete, que é feio, que é pra falar carambola, ela finalmente parou. Mas lembrou ontem, como vocês puderam perceber.

E o vá cagá é coisa do meu irmão, que na verdade queria que a Luísa fosse Luís, e como não é, pensa que é bonito ensinar uma menininha de cabelos cacheadinhos a falar palavrão. E o vá cagá ela aprendeu direitinho. E este, minha gente, tô tentando até agora fazê-la esquecer, mas tá difícil, porque é só ela ir na casa do tio que ele já coloca em prática com ela a divina frase. Mas não vamos desistir, afinal, não acho legal mesmo. Morro de vergonha!
********************

Episódio ridículo aconteceu dia desses, quando eu reclamei pro meu marido que tava com dor de barriga e ele me solta essa, na frente da Lú:
- Vai cagar, amor. (coisa mais bunita não??)
Tive que ouvir dela a repetição, super meiga, me dando o tal conselho também:
- Vai cagá, mamãe, vai??
Socorro!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Macarrão rapidinho e o carma do dvd

Ontem a noite, na pressa e na fome, fiz um macarrão super simples e super delicioso, que Luísa amou e repetiu mais uma vez (que novidade!). E eu amei, e papai disse que adorou também.
Cozinhei meio pacote de macarrão tipo penne, do coloridinho. Numa outra panela fiz um molho de 4 tomates inteiros (com pele e tudo), azeite, cebola, um pouquinho de água, sal e coloquei um pouquinho de farinha de trigo pra engrossar.
Misturei no macarrão e coloquei bastante queijo ralado por cima.
Super rápido, simples e delicioso.

Obs.:Inspirei-me no blog da Crescer, que passou uma receita rapidinha de macarrão, só que com cenoura também.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

E também ontem fiquei feliz e conformada em saber que Luísa é uma criança normal, depois que encontrei a tia de uma amiga minha, queridíssima, na lavanderia. Ela me disse que uma de suas filhas assistiu Titanic 58 vezes, porque achava que uma hora ou outra o Jack sobreviveria. Imaginem só!! Uma criança de 11 anos!!
- Minha filha, isso é um filme!

A minha ficou das 5 da tarde às 10 da noite ouvindo o dvd Gospel Diante do Trono, e quando foi dormir, queria ainda levá-lo com ela e colocá-lo no DVD portátil no quarto. PelamordeDeus, eu que não agueeento mais esse dvd.

Brincadeiras à parte, sabemos que toda criança faz isso. Luísa já teve a fase da Moranguinho, do Tempo de Brincar, do Palavra Cantada, e agora do Diante do Trono. Qual será o próximo? Podia ser pelo menos uma novelinha, não?

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Que bagunça é essa?

Desde que a Luísa nasceu, fui sempre organizada. Deixava tudo arrumadinho, roupas, brinquedos, móveis e livros. Enquanto brincava com uma coisa, eu já guardava a outra anterior e preparava o brinquedo seguinte, sempre colocando o outro de volta no lugar.
Aí nos mudamos pro apartamento, e as coisas continuaram do mesmo jeito, ou melhor, pioraram. Luísa tirava do lugar, eu ia lá e arrumava.
Vale saber que nunca tive uma empregada diarista, então a arrumação de toda bagunça e sujeira sempre foi por minha conta, e para não deixar acumular, eu sempre ia arrumando.
Mas quando visitamos a Dra. Elaine Marasca, médica pneumologista, antroposófica, mestre em Educação, ela me alertou para o fato de que "CRIANÇA PRECISA DE BAGUNÇA, DE BRINQUEDOS ESPALHADOS NO CHÃO, PARA DESENVOLVER A CRIATIVIDADE." Foi aí que me dei conta mesmo disso. Pelo fato dos brinquedos da Lú viverem no lugar certo, tudo arrumadinho, ela deixava de brincar com muitos deles, o que me fez pensar várias vezes se já não estava na hora de me desfazer de alguns, passar para outras crianças.
Mas não. Mudamos a filosofia aqui em casa - na verdade eu mudei, pois meu marido sempre foi desencanado pra arrumação, nunca se importou se a almofada estava em cima ou embaixo do sofá, ou se o tapete da sala estava no avesso, ou se o quadro estava de ponta cabeça (rs).

Hoje deixo a Lú fazer a bagunça toda que quiser.
Tem dias que tem brinquedo espalhado no quarto, na sala de jantar, no meu quarto, na sala de TV, na escada...e papai e mamãe temos que tomar o maior cuidado pra não pisar neles e cair. Se chega visita inesperada, temos duas opções: corre-corre ou "deixa pra lá que eles são de casa".
Aí antes de dormir, todo mundo faz um mutirão de limpeza e organização e coloca tudo no lugar.

Então para as mamães que se estressam porque ficam o tempo todo "catando" coisas do chão, relaxem e aproveitem a bagunça também. Todo mundo que chegar na sua casa vai entender, ou terá que entender, ou fingirá que entende, que você tem criança em casa e que é impossível ficar tudo no lugar.
Deixem tudo pro final do dia, quando a criança já estiver dormindo, assim você garante a arrumação até o dia seguinte.
O que você pode fazer também é deixar um espaço pra que seu filho faça a bagunça que quiser SÓ ALI. Aqui em casa, por exemplo, não temos um só espaço, mas ALGUNS(rs).
O quarto dela é liberado, e a sala de TV também. E tem também um cantinho próximo ao nosso computador, onde ela tem uma mesa, cadeira, lápis de cor, giz de cera, papéis e um notebook do Mickey. E como já disse, no final da noite é só colocar tudo no seu lugar.

O excesso de organização faz mal para nós adultos.
Com o tratamento que começamos a fazer na Lú, ganhei o kit mãe, composto de dois vidrinhos com remédios para essa minha preocupação com arrumação. Após 3 meses de tratamento, hoje eu consigo sair de casa às vezes sem nem mesmo arrumar nossas camas. Ói que progresso !

Para quem quer saber mais sobre a Dra. Elaine Marasca, clique aqui. A clínica dela é liiinda !!

Alimentação ANORMAL

Uma criança de 2 anos e 7 meses, 16 quilos e sei lá quanto de altura (??) que come na sexta DOIS pedaços de pizza - tamanho normal, não de rodízio - de frango com catupiry, no sábado almoça DOIS pratos de feijoada, arroz e farofa, sendo que no café da manhã já havia comido 3 cupcakes (sem cobertura) e mais 5 ovos de codorna, fora o tetê....e no domingo almoça super híper bem, e janta mais um pedação de Pizza Hut, é normal ??

Essa é minha filha!!
Puxou a mãe!!

Beijinho de Esquimó

Coisas simples da vida

Às vezes nos preocupamos tanto em dar aos nossos filhos o bom e o melhor de tudo, que esquecemos que tem MUUUITA coisa boa e simples pra se fazer, como passar um domingo entre família e amigos, numa casa simples, diferente, divertida e cheia de coisas novas pra explorar.
Acordamos tarde. Maridão já tinha saído pra fazer o curso de reflexologia - em pleno domingo sim - e nós fomos pra casa da vovó, que nos levou pra almoçar na casa de outra vovó (mãe de uma amiga), em Capela do Alto, cidadezinha pequena próxima à Sorocaba. Casa simples, comida deliciosa e povo super animado, Luísa se divertiu, e passou o dia na companhia de pessoas que ela ama.
Molhou as plantinhas da casa com uma canequinha de alumínio,



curtiu o vovô,




correu, dançou, comeu muito, e fugiu do cachorro, que mesmo preso num fio de aço, a assustou. Até que achou um cantinho da casa que ela chamou de "minha casa nova". Sabe aqueles cantinhos aconchegantes, que só as crianças têm a imaginação pra ver nele uma cozinha, um quarto, um banheiro, uma cama...e levar todo mundo lá pra ver. Na verdade esse cantinho é a entrada da casa. Uma varandinha, que tem um portãozinho pequeno, que ela teve fácil acesso, e achou o máximo. Este aqui ó:



Então lembrei das minhas fantasias de criança, dos espacinhos que eu encontrava pra serem minha casa, meu castelo, meu trabalho. Lembrei que o cachorro lá em casa ficava preso também num fio de aço, e corria pra lá e pra cá, e latia, e se enroscava nas pernas do meu avô. Aí lembrei que meu avô tinha um puxadinho uma oficina no quintal de casa, cheia de tralhas: madeira, papelão, arame, enfim, tudo quanto era lixo...e lá ele passava o dia. E quando ele não estava, eu fazia daquele espaço o meu barquinho, e imaginava que estava navegando, e que o barco estava afundando, e que eu lutava pra segurar o barco.
E ontem, não pela primeira vez, mas de uma forma intensa, Luísa fantasiou seu espacinho, e não queria mais sair dali.

O fanatismo exagerado

Não acredito que uma criança possa chegar a esse ponto! Recebi este vídeo da minha amiga Bia, que sem querer sempre contribui com meu blog.



video

sábado, 17 de julho de 2010

Que boneca você é

Falta de inspiração pra escrever sim, e aí resolvi fazer o teste de qual boneca eu sou e acreditem!! Juro que sou assim mesmo!! Coisa boba de se fazer, mas que tem um grande fundo de verdade!!

Eu sou a Susi





Romântica e sensível, você gosta de se sentir amada e querida, mas também adora dar carinho a quem precisa. Você tem uma percepção aguçada das necessidades do outro, aproveite esse seu lado e saiba tirar da vida e das pessoas o que elas têm de melhor.

Sou super romântica mesmo. Aquela que idealiza ser amada com a mesma intensidade de sempre, SEMPRE! Que gostaria de quer ouvir EU TE AMO todos os dias.
E sensível ao extremo. Daquelas que sentem a intensidade de cada palavra - seja ela verdadeira ou mentirosa.

"Agradeço à Deus por me dar o previlégio de AMAR alguém."

Se você quer saber que boneca você é, faça o teste aqui.

Só pra constar

Hoje fomos conferir a programação do Sesc na Biblioteca Municipal, e foi super legal.
Primeiro foi a contação de histórias, que na verdade achei um pouco cansativo pra idade da Luísa. Apesar dela ter prestado super atenção - que poderia também ter sido sono, foi 1 hora de apresentação.
E a segunda apresentação foi a do Grupo Pererê - 2 mulheres e um rapaz.
As músicas são super agitadas, falam de Saci, de Boitatá, de Mula sem cabeça, de curupira..as crianças dançam, ajudam a cantar. Muito legal mesmo. Eles têm uma percussão muito boa, que com certeza ajudou a criançada - e pais - interagirem muito. Pra quem gosta de músicas da Cultura Popular Brasileira, vai gostar deste grupo também. A Revista Crescer citou o lançamento do cd do grupo aqui e eles também estão no Myspace.com.

Resumo do dia: muita música, dança e cantoria...Desde cedo na casa da vovó e depois na hora do almoço.
Resultado: 20h agora e Luísa já está dormindo desde as 19h.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Kideos.com

Gente!! Que legal!! Descobri hoje!! Li na Revista Pais e Filhos deste mês e gostaria de comentar e compartilhar com vocês sobre este site www.kideos.com.
Ótimo!!
O site seleciona os vídeos do Youtube e outros, indicados para cada idade. Isso acaba com os vídeos indesejados que não gostaríamos que nossos filhos vissem.
Eu, por exemplo, já passei um perrengue quando procurava um vídeo, no próprio Youtube do Sapo Cururu. Cara, achei uns super ridículos, do tipo "...sapo cururu na beira do rio, sapo blábláblá....vái tomar no ......". Imagina a minha cara, né? Então este site cuida disso pra nós. É bem legal. Vale a pena navegar nele.

Programação do Sesc Sorocaba para amanhã

Só de imaginar um sabado chuvoso me dá um tédio!! Um aperto no coração em pensar!
Mas já temos programação garantida, faça chuva ou mais chuva. Pode até gear, que amanhã estaremos lá na Biblioteca Municipal de Sorocaba, um lugar super agradável, que contará com duas apresentações infantis seguidas.
Copiei do link. Vejam:

O SESC Sorocaba, em parceria com a Biblioteca Municipal, realiza gratuitamente no próximo dia 17 (sábado) duas atividades para as crianças. Às 15h, a narração “Histórias de Meninos e Meninas”, dos sorocabanos Cynthia Costa, Débora Brenga e Jairo Leme, apresenta a ação de personagens que, em três histórias diferentes, experimentam a possibilidade de transformar o ambiente em que vivem. Os contos são apresentados por meio de imagens, manipulação de bonecos e efeitos sonoros.

Na sequência, às 16h, o Grupo Pererê apresenta o espetáculo musical “Contanto e Cantando Histórias”, que passeia pelo universo dos mitos do imaginário popular brasileiro: lendas indígenas, sacis, curupiras e lobisomens, que povoam suas canções, apresentadas por divertidas e deliciosas narrativas de causos. O resultado desse trabalho originou um CD, indicado ao Prêmio da Música Brasileira 2009 (ex Prêmio TIM) na Categoria Especial - Disco Infantil. Para este espetáculo os ingressos serão distribuídos no local, uma hora antes, limitado a dois por pessoa.

Local: Biblioteca Municipal de Sorocaba.
Rua Ministro Coqueijo Costa 180 – Alto da Boa Vista - Paço Municipal.

Êba!! Depois contamos como foi!!



Biblioteca Municipal de Sorocaba

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Thanks e Obrigada

Já estava surtando em casa sem meu computador e louca pra ver os comentários do post anterior. Agora o técnico prometeu que ele não terá mais problemas.
Li os comentários, adorei, super obrigada meninas!! Vocês me ajudaram muuuuuuuuuuuitooo.
É de coração mesmo que às vezes me deparo com situações e métodos novos que me deixam maluca. Talvez porque queira que seja tudo certo pra Luísa, que ela seja educada da melhor maneira possível, já que não fico com ela 100% do dia por opção minha, pois não trabalho fora de casa. Porém acho que o melhor lugar pra Luísa passar o dia é na escola, onde ela aprende, convive com outras cranças e adultos, e se defende também.
Sei que não somos 100% perfeitas (que bom), e agradeço muito as dicas e conselhos de vocês.

Agora deixa eu ver meus mini cupcakes que estão no forno.
Beeeeeeeeijo

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Dúvida de Verdade

Meninas, amigas, blogueiras, família e mamães de plantão, preciso muito da opinião sincera de vocês.

O que vocês acham de uma escola de educação infantil ensinar para os seus aluninhos (idades 2 a 3 anos) que, quando um amiguinho vier bater ou morder, você empurra ele! ??
É sério que preciso de comentários!!
Tenho uma opinião: violência gera violência, e empurrar, pra mim, é uma violência.
Mas ouvi também que o empurrão, neste caso, é uma forma de defesa. E eu JURO, que não quero ser injusta, então eu quero saber de todo mundo que me lê, o que vocês acham do empurrão como forma de defesa de uma criança de 3 anos ??
Pra quem não sabe deixar comentário, logo abaixo do texto tem o link de comentário.
Clica lá, escreve, e pra enviar pode selecionar no comentar como, anônimo, mas deixa seu nome embaixo do seu comentário pra eu saber quem é ok?? E envia. É fácil.
Obrigadíssima.
Obs.: Cris, mamãe do Conrado, deixa lá seu comnetário também tá? É super válido !! Afinal de contas, foi você quem me deixou na dúvida.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Parque da Biquinha

Tanta gente não sabe, e tanta gente perdida com a criançada por aí nas férias, sem saber que tem tanta coisa legal pra ver e fazer, pagando absolutamente nada por isso.
Difícil é deixar a criança em frente à TV o dia todo e ainda se estressar quando ela se cansa e começa a aprontar e a encher a paciência.

Hoje, sem rumo depois de duas tentativas de passeio frustradas, fomos ao Parque da Biquinha, aqui em Sorocaba mesmo. Não paga nada pra entrar (pelo menos nós não pagamos, mas alguém já comentou comigo e paga-se R$2,00 pra entrar).
Mas o parque é um lugar fechado, tem muito verde, trilhas, lagos, pontes, brinquedos de madeira e areia pra criançada brincar. É bem tranquilo.
Único inconveniente é que não tem lanchonete lá, então, vá munida de suco, e de algum lanchinho, se quiser passar algum tempo por lá. E é bem provável que isso aconteça. Água não é problema, pois lá tem uma bica com água potável deliciosa. Luísa aprendeu a beber água na mão.

Parque da Biquinha
Av. Comendador Pereira Inácio 1112, Jd. Emilia - Sorocaba
Horários de funcionamento: das 08:00 as 17:00 - De Segunda a Domingo
Preço do ingresso: R$ 1,00 (uuups....OU às segundas-feiras é grátis, OU, nós entramos pela saída....vá saber!)

Piquenique improvisado

Tenho lido pelos blogs aqui sobre as programações de férias com a criançada, e vejo que muita gente ADORA fazer piquenique. E vão combiná, é legal demais!
Não me lembro dos meus pais terem me levado pra piquenique algum, mas me lembro que quando eu chamava minhas amiguinhas, ou minha prima pra ir em casa, fazíamos piquenique no jardim do quarto da minha mãe, e era bem divertido. Assaltávamos a geladeira lá de casa e fazíamos o maior banquete.
E neste fim de semana, Lucas, Luísa e eu fomos no Campolim, um parque aqui em Sorocaba bem gostoso e que tem espaço de sobra. Muita grama, lagos e patinhos (cisnes, ou sei lá o que são aqueles pescoçudinhos brancos). Foi um piquenique super improvisado, pois não tínhamos a intenção de fazê-lo, mas a Lú se divertiu tanto, e nós pudemos descansar tanto, que valeu a pena. Tínhamos uma esteira de praia no carro (essas de sizal), biscoito de polvilho e suco de uva. E foi só isso!! E foi muito bom.
Nada chique como foi o piquenique da Rô (queeeero uma cesta dessssssa!!!) mas foi imensamente gostoso.

Pérolas

Meu Deus!! Pra começar este post, estávamos sem computador e que sofrimento que foi!!
Como dependemos desses "gadgets" pra sobreviver não?

Mas vamos lá. Pra aquecer novamente, vou contar umas perolinhas da Lú:

Ontem assistindo a um dvd com músicas evangélicas que ela ganhou da Elen e só agora resolveu assistí-lo e amá-lo loucamente, daquele jeito que faz nós, mães, decorar cada música em questão de um dia(o dvd chama-se Diante do Trono, de Ana Paula Valadão), ela me fala:
- Mãe, eu xou essa aqui ó. E apontou para a Bia, personagem meiga de cabelo enroladinho. E voxê, quem é?
- Eu sou a de lilás, filha.
- Ah, eu xou a pincesa.
- E eu sou a rainha, filha.
- E papai? Papai é o macaco.

Tem sim um macaquinho na história. Não é demais? A ingenuidade de um ser? Só pra explicar, meu marido é negão, tá?

Na casa da minha tia Lene semana passada. Essa minha tia e o marido dela são pastores. E sempre que estamos lá e quando vamos embora, meu Tio Miguel fala tchau e "Deus abençoe". E eu digo amém.
Na saída, eu pergunto:
- Lú, como é o nome desse tio mesmo?
- Tio Amém.

Pode parecer bobo, mas as tiradas dos filhos da gente é sempre demais!!

sexta-feira, 9 de julho de 2010

A história do cocô

Prometo ser bem rápida pra falar que não consigo fazer cocô fora da minha casa, e muito menos na frente de outra pessoa. É fato, quem me conhece sabe disso e não tem jeito. Nem meu marido que é marido (dãããrr...) nunca me viu fazer tal coisa.
Na verdade a única pessoa que já me viu fazer cocô é a Bia, minha amiga de infância e de sempre. Me lembro que quando éramos criança, e adolescente, íamos juntas ao banheiro e enquanto uma cagada (desculpem mas é bem isso) a outra ficava sentada na frente do vaso, conversando, dando risada. Sem nenhum problema ou constrangimento.

Lembro também que a Rô, morria de rir da minha cara, na nossa viagem à Europa, porque ela conseguiu fazer cocô até no trem em movimento e ainda sem sentar no vaso, enquanto eu passava mal. Diiiiiias sem ir ao banheiro.

Eu não tenho mais a Bia pra me fazer companhia no banheiro, MAS AGORA eu tenho a Luísa!!

Ontem, ela saiu correndo pra ir ao banheiro. Pegou um livro que já deixei de propósito lá pra ela e disse que ia me contar uma "itólia".
Nessa hora me deu uma dor de barriga daquelas típicas de quem está menstruada, sabe? Sentei no vaso, peguei uma revista e ficamos ali, as duas, cagando (desculpem de novo, gente, mas é bem isso) juntas, em silêncio, lendo cada uma seu livrinho. Aí soltei um comentário pra ela (Ah....já pensaram que eu tinha soltado outra coisa, né?):
- Ai Lú, minha barriga tá doendo muito! Fazendo aquela cara de dor de barriga mesmo, porque tava doendo de verdade.
E ela, com um jeito que só eu vi, todo meigo, carinhosinho e companheiro, me disse:
- Já vai passá, mamãe. Fais cocô que passa. Dá a mão pa mim, dá? Eu sigúlo ela.

Merecia uma foto! Mas vocês hão de concordar comigo que não ia pegar bem, né?

Pensando bem....quem sabe num próximo post!! ahahaha...

Obs.: Não consegui ser tão rápida no post como prometi.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

"Você é o que come na embalagem que consome"


CAMPANHA CONTRA O BISFENOL A
EM PRODUTOS INFANTIS


- O BPA está presente no revestimento interno das latas e das tampas na forma de resina epóxi.

- É possível a transferência do químico da embalagem para os produtos.

- Em contato com o alimento, o BPA vai para o organismo e é confundido com o hormônio estrogênio. O bisfenol-A já foi associado a uma maior incidência de problemas cardíacos, diabetes, anormalidades no fígado e também problemas cerebrais e no desenvolvimento hormonal em crianças e recém-nascidos.

- Alguns estudos também provam que o bisfenol-A é responsável pelo crescimento de células cancerígenas, diminuição de esperma e micropenia.

- O BPA também é utilizado na produção de policarbonato presente em mamadeiras, garrafas de água, equipamentos eletrônicos, tubulação e como revestimento interno na forma de resina epóxi em enlatados. Depois de reconhecer a relevância de pesquisas recentes, que associaram o bisfenol A a problemas de saúde, A FDA e EFSA, agências reguladoras dos Estados Unidos e Europa, respectivamente, estão reavaliando suas posições em relação ao uso composto químico.
No Brasil, a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda considera seguro o consumo do BPA.

Dúvidas frequentes sobre o bisfenol A
Saiba o que é esse químico que afeta a nossa saúde e como evitá-lo


O bisfenol-A é um produto químico usado na fabricação de plásticos. O BPA também é utilizado no revestimento interno de quase todas as latas de alimentos e bebidas, inclusive em latas de fórmula para bebês.

Por que o bisfenol A é usado em recipientes de comidas e bebidas?
Porque ele é transparente, forte, leve e duradouro e torna o plástico mais resistente a rachaduras. O revestimento de BPA usado no interior de latas de comida e bebida evita que as latas enferrujem.

O contato com o bisfenol-A traz riscos à saúde?
Nos últimos 10 anos, estudos com animais realizados em laboratório sugeriram que quantidades mesmo muito pequenas de bisfenol-A podem ser prejudiciais para a saúde, afetando principalmente o desenvolvimento de bebês e crianças pequenas.

Quais são os possíveis perigos do bisfenol-A para a saúde?
Os perigos incluem alterações no desenvolvimento do sistema nervoso do bebê (função da glândula tiroide e crescimento do cérebro); mudanças no comportamento e no desenvolvimento do intelecto (hiperatividade e agressividade). O bisfenol-A também foi associado à obesidade, problemas cardíacos, diabetes, câncer, puberdade precoce e tardia, abortos, infertilidade e anormalidades no fígado. Pesquisas já associaram o químico a problemas sexuais em homens, como a diminuição da qualidade e da quantidade de esperma.

Como estamos expostos ao bisfenol A?
Bebês e crianças: há duas formas mais comuns de contato com o BPA:
1 – O BPA pode ser transmitido para criança através do consumo de alimentos ou bebidas acondicionadas em plástico, como mamadeiras, copinhos, pratinhos e talheres. É importante salientar que o aquecimento da mamadeira leva a um maior desprendimento do bisfenol-A, no entanto, em mamadeiras de plástico a migração vai acontecer independe dela ser aquecida ou não.

2. O BPA também pode migrar de latas, como as de leite em pó, e assim ser ingerido pela criança. É cientificamente comprovado que o bisfenol-A passa pela placenta e a contaminação do feto ocorre sempre que a mãe ingerir um produto que esteve em contato com o químico.

Adultos: Pela ingestão de alimentos ou bebidas provenientes de latas, recipientes plásticos usados para guardar alimentos na geladeira, garrafas (squeezes) e garrafões.

Como evitar o contato com o bisfenol A?
- Consuma frutas e hortaliças frescas. Ao comprar conservas prefira as de vidro.
- Não aqueça comidas ou bebidas em recipientes de plástico.
- Rejeite qualquer recipiente de plástico que estiver velho, gastou ou turvo. Isto inclui garrafas d’água. Para acondicionar alimentos prefira os de aço inox, cerâmica ou vidro.

Como proteger o meu bebê do bisfenol A?
- Evite ingerir bisfenol-A se estiver grávida ou em fase de amamentação;
- Dê leite materno.

Mãezona



Calma que eu ainda não cheguei nesse ponto.
Ainda falta muito!!

Dia de Fúria

Que bom que hoje é hoje e ontem já acabou !!
Sabe aquele dia que TUDO te irrita? E (1) bem nesse dia sua filha de 2 anos e 6 meses resolve teimar com você pra tudo?
- não quer tomar banho
- depois não quer sair do banho (Claro! Coisa comum!)
- não quer colocar o uniforme
- depois não quer colocar o tênis branco, e sim o rosa
- quer brincar com o termômetro

- quis comer pão, e quando passei manteiga, chorou porque não queria manteiga...


(2) E bem nesse dia seu marido resolve não te dar a menor bola?


Jeezúis!!

Ando tão irritada!! Talvez porque:

- esteja de tpm
- esteja sem emprego e não aguento mais ficar em casa sem ter uma função além de esposa, mãe, lavadora de roupas, passadora de roupas....

E é claro que minha filha e meu marido sugam isso de mim, e aí fica tudo uma b..., porque parece que tudo o que eles fazem ou falam é pra me provocar.
Acho também que meu anticoncepcional possa ter alguma culpa nisso. Sabe quando só de olhar pra embalagem te dá ânsia?

Por tudo isso, deve ser hormonal mesmo.
E esse negócio de hormônios alterados é complicado, porque tanto o excesso deles como a falta, pode alterar o equilíbrio químico essencial pra minha saúde, e apesar de estar comendo bem - acho a minha alimentação saudável na maioria dos dias - não tenho feito nenhuma atividade física, e por isso tenho considerado minha qualidade de vida, deficiente.
E o fato de não conseguir ficar relaxada diante de alguns acontecimentos diários básicos, como a rotina de escola da minha filha, o excesso de trabalho em casa (vulgo faxina) também atrapalha muito.

Só sei que ninguém me aguenta e eu não aguento ninguém.
Por isso Luísa foi pra escola mais cedo, Lucas foi trabalhar e nem vem almoçar em casa, e eu vou ficar aqui, a tarde inteira, sem fazer nada, porque é o que eu estou com vontade de fazer. Nadinha de nada.

Alguém me ajude.
Lanço aqui a campanha "alegre meu dia, por favor". Conte-me um causo, uma piada, uma fofoca, me dê uma palavra de carinho, enfim...Não tenho brindes pra sortear para a melhor ajuda, mas prometo que se você me autorizar eu agradeço publicamente aqui no blog. Dêem suas contribuições!! (rsrsss..)
Só assim pra eu rir hoje!
Obrigada. Beijos. Miliguem!

Ti amu

Acostumados a dizer "ti amu" pra Lú todas as noites antes de dormir, e todos os dias quando a deixamos na escola, hoje foi a vez dela se antecipar e perguntar, ainda no carro:
"Mamãe, você ti ama eu?"

Carência deliciosa logo cedo! Pra começar bem o dia, claro!

quarta-feira, 7 de julho de 2010

O desmame


Queria falar sobre o desmame da Lulú, já que muita gente me pergunta.
Digo: foi fácil e rápido, e sem traumas também. Quer dizer, antes de tirá-la do peito EU é que estava ansiosa, com medo e manhosa. Sofria um pouco em pensar que não amamentaria mais, mas o motivo que me fez parar de amamentar foi ANSIEDADE. Isso mesmo!
Luísa já estava com 1 ano e seis meses, eu estava mudando de casa, pensando nos móveis, na decoração e o diabo. Aí pra ajudar, a Lú não podia me ver que queria me "chupetar". Porque nessa fase eles criam uma certa semvergonhice e querer mesmo ficar mastigando a gente e só!
E quando decidi que iria parar, meu pediatra sugeriu o seguinte: "tire uma segunda lua-de-mel, deixe a Lú com seus pais uma semana e pronto. Ela não vai mais querer saber de mamar." AAAAAAAAAAAAAAAAAah táh que tenho esse sangue de barata mole! Mas aí, esse mesmo pediatra me disse: "tem também ruibarbo (acho que é assim que escreve) que as mães passam nos seios e de tão amargo que é, a criança não quer saber mais.. Mas se alguém perguntar quem te receitou isso, não diga que foi eu!". E deu o sorrisinho discreto e cético como sempre.
Então fui até o mercado e pedi pelo tal de ruibarbo. A vendedora, mais experiente que eu talvez, me disse: "não leve ruibarbo, porque tem criança que gosta. Leve ABORRECIDA." Aborrecida é uma plantinha, que não causa efeitos colaterais, nada. Você mistura aquele pozinho preto num pouquinho de água e sapeca nos seios. Quando a criança coloca a boca lá - eu experimentei! É amargo demais! - não quer experimentar de novo.
E foi o que aconteceu com a Lulú.
Quando ela chegou da escola, deixei ela mamar pela última vez e foi dormir. Quando acordou, eu falei pra ela que o tetê tinha estragado, que ela não ia mais poder mamar. Mesmo assim ela quis. Colocou a boca no amargão, e ainda tentou o outro peito. Enrrugou toda a carinha e viu que realmente a coisa tinha estragado. Perguntei à ela se ela queria tetê no copo, ela disse que sim e pronto gente. NUNCA MAIS TENTOU MAMAR.
Na verdade ela quis mamar semanas atrás. Ai que dó. Ai que saudades.
Quando encontramos alguma mãe amamentando, ela sempre me pergunta se a Lú não vai ficar com vontade, e eu sempre digo: "Ela não, mas eu mooooooorro de saudades dessa fase".

terça-feira, 6 de julho de 2010

Turma da Mônica

Recebi um e-mail dias atrás, da Revista Seleções, me oferecendo uma coleção de livros da Turma da Mônica de A a Z, onde eu compraria o livro C e ganharia os A e B, e mais um tapete divertido e mais dois baralhos educativos, e mais a chance de participar de um sorteio de R$ 350.000,00 blá blá blá.....blá blá blá. Fui meio com medo, mas comprei o negócio todo por, acreditem, R$ 19,90!!
E não é que hoje chegou tudo isso na minha casa!!
Super bonitinho, material de óotima qualidade, tapete gigante para ser usado junto com os livros, e também um catálogo com várias dicas de brincadeiras, e um super incentivo à leitura. ADOREI!!
Depois eu coloco aqui fotinhos dos livros e de todo conjunto. Acho que a Lù vai adorar!!

Coca-Cola




Vou contar pra vocês como foi que Luísa conheceu a Coca-Cola.
Foi na Bahia, com 1 ano de idade, durante uma virose braba com direito à vômitos, febre e diarréia. Fomos ao hospital de Ilhéus, e fomos instruídos a dar muita água, água de côco ou coca-cola. Água ela sempre tomou bastante. Tentamos por várias vezes água de côco, mas ela não quis nem saber, detestou. Aí tentamos a Coca. Gente, que merda. Ela bebeu aquilo como se fosse a coisa mais deliciosa do mundo. Mamou a metade do copo de Coca.
Á partir daí, não temos mais Coca-Cola em casa e ela só bebe (infelizmente) na casa da Vovó Rose.
Gostaria muito sim que a Lú fosse uma criança que detestasse Coca, mas...ela não é.

Obs.: Nossa, esses meus dois últimos posts são pra acabar com minha reputação de boa mãe, hein? Que vergonha!!!

Só pra constar, e eu também não ser tãaaaaaao cruscificada, ela também curte um suquinho e um H2O....


Alimentação não radical



Ontem no jantar comemos arroz, contra filé grelado na manteiga, brócolis e baata palha.
Luísa detonou o brócolis. Só não quis comer o quiabo (que eu adoro!). Até deu uma lambidinha, quando falei que a Angelina (Bailarina) comia bastante quiabo pra poder dançar, mas não teve jeito. Ela não quis mesmo.

Luísa sempre foi de comer quase de tudo. Me lembro que uma das primeiras frutinhas foi o abacate, e pasmem: ela comia a fruta inteira! Comia de tudo, e muito. Depois vieram as papinhas, que eu fazia com vários legumes, e sempre destacando UM em especial. Por exemplo, fazia papinha com beterraba, cenoura e batata, e destacava a beterraba. Temperava com azeite, e pouco sal. Sempre comeu MUITO BEM. E como toda criança, selecionou os alimentos agora. Nâo come mais mamão, nem abacate, mas adora mexerica, maçã, pêra, banana, pêssego...Dos legumes ela adora batata, mas não come o purê.
Come macarronada, parmeggiana, bacalhau, fígado, alface, ama tomate, danoninho, pizza, churrasco, batata do Mc, e hamburguer...Pois é. Come sim, admito.
Come porque apesar da gente aqui em casa ter hábitos alimentares saudáveis, acho importante o não radicalismo nas coisas. Lógico que se vou ao shopping prefiro comer num restaurante, mas se não tiver jeito, vamos de Mc mesmo. Me perdoem os pais super corretos em alimentação.
Me defendo dizendo que não vamos com frequência. Aliás, uma vez por mês é o suficiente. E também não procuro o Mc nunca. Não é uma regra.
O que pretendo é nunca ter que passar por um aperto se não tiver nada saudável pra minha filha comer fora de casa. Se não tem suco ou água, e ela tá com sede, vai coca mesmo.
O maior problema é a porcaria dos salgadinhos Elma Chips. Esses eu corro porque se ela ver, ela quer. E se quer, eu acabo comprando um pacotinho pequenininho. Porque é tão raro ela ver, que acho que não vai fazer mal comer só um pouquinho.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Dormiu

Lulu acabou de dormir. Passei aqui na verdade pra olhar o blog e deixar o seguinte comentário:
Luísa já dormiu. Mas depois que chegou da escola, comemos juntas um lanche de queijo e peito de peru e um suco de uva. Depois subimos, brincamos de massinha, pintamos, assistimos o dvd do Palavra Cantada (socorro, não aguento mais!!). Depois tomamos banho juntas, jantamos, assistimos mais um pouco de Palavra Cantada (tem noção de como é que é?) e agora ela dormiu...
Será que fiz o suficiente por ela hoje? Dei atenção bastante? Ai mãe!
Beijos.
Boa noite.

O pediatra e o convênio

Engraçado como é só você mudar para um plano de saúde que pague melhor o médico e ele te trata super melhor também né?
Não é falar mal. É sim observar algumas mudanças no atendimento e comportamento do nosso pediatra com relação à mudança do convênio médico.

Até que enfim troquei meu plano para o qual ELE sempre me pediu. rsrsss....
Levo a Lú no mesmo pediatra desde que ela pôde ir a um pediatra. Explico: levava ela num neonatologista, pois nasceu prematurinha da silva, lembram? Pois bem.
Ótimo pediatra este, sempre nos atendeu muito bem, principalmente ao telefone (rs), quando preciso de algum remédio, ou dica para alguma emergência.
Mas confesso que já pensei em mudar várias vezes, na tentativa de encontrar uma outra pessoa que seja mais sensível, mais carinhosa com minha filha. Ele é um pouco frio, não se envolve muito e é sempre bastante sério, sorrisinho discreto e prático, do estilo ouve, examina, explica e prescreve algo. Meio hipocondríaco, com certeza, não é do tipo que receita suco de laranja ou água, e sim MUITOS remédios. É bem cético com relação aos tratamentos alternativos, mas mesmo assim aceita, com o mesmo sorrisinho discreto no rosto.
Luísa teve uma infecção quase generalizada em março deste ano, e teve que ficar no hospital por 8 dias. Hospital este do próprio plano de saúde. Esse pediatra nem apareceu lá pra ver minha filha. Mostrou-se preocupado só quando EU telefonei pra ele pra deixá-lo a par do caso. Fiquei chateada e jurei que sairia dali e iria procurar outro pediatra, mas não fiz isso. Pela comodidade que tenho de agendar consultas, pela atenção que ele sempre me dá ao telefone (oi? no telefone?). Por ele ser de fácil acesso e ser competente. Hoje tivemos que dar uma passadinha lá, porque a Luísa acordou toda empipocada, com um grosseirão vermelhão no corpo. ALERGIA. A que? Como ele disse, pode ser de qualquer coisa. Receitou um outro remédio, e só.

O que mudou, é que antes, ele era frio, não conversava com a criança. Luísa tinha pavor de ir lá. Hoje, com o outro convênio (coincidência?), ele brinca, pede beijo e até úta. Dá pirulito e conversa com ela. Uma outra pessoa!!

Patati e Patatá

Ontem levei a Luísa ao show do Patati e Patatá aqui em Sorocaba, no Monteiro Lobato. Evento beneficente, R$ 25,00 a entrada e mais 1 quilo de alimento. Legal, vamos colaborar com as criancinhas sei lá de que instituição, e aproveitar que a Lú adora ver os palhaços cantores (bem de longe).
Evento marcado para as 5 da tarde, fila de carros pra entrar, fila na porta para entregar os alimentos e outra filinha de nada para entrar. Até aí tudo bem.
O que eu não sabia é que tínhamos a opção de comprar ingressos para o camarote - um espaço reservado de cadeiras numeradas, cercado por grades, bem mais caro, obviamente, que o ingresso convencional, mas localizado bem em frente e pertinho do palco.
Para as pessoas que compraram os ingressos convencionais - a maioria dos casos - não tinham cadeiras, e o normal que se espera do público, numa situação dessas, é que todo mundo sente, tratando-se de um evento para crianças.
Mas não aconteceu nada disso, e fiquei impressionada com tamanha falta de respeito do público - pais - com as pessoas do camarote, que pagaram R$ 75,00 cada ingresso (inclusive as crianças), a desorganização do evento, que começou super atrasado, e mesmo os organizadores vendo a bagunça que estava o local, não fizeram absolutamente nada. A baixaria chegou ao ponto de que quando o show começou, as pessoas que estavam na pista - pais - invadiram o espaço dos camarotes, empurrando as grades de segurança, e colocando as crianças todas em cima do palco, ficando em pé na frente do resto do salão. Olha, decepcionante.
Fora o clima que estava. Pais putos da vida, mães sentadas e crianças sem conseguir enxergar nada, enquanto outros pais pulavam em frente ao palco, mais do que as crianças, como se fosse um show do U2.
Gentem!! Wake up!!! Sabemos que em show de crianças, pais se divertem pra caramba, cantam e dançam, mas péra aí. Que exemplo esses pais deram aos filhos ontem invadindo espaços, atrapalhando outras pessoas e fora, desrespeitando outras crianças e pais. Um absurdo. Sem mais comentários, organização nota 0.

Obs.: Única coisa linda de tudo isso foi ver a Lú cantando as músicas do Patati e Patatá, sendo que ela viu os palhaços duas vezes na vida. Nem cd, nem dvd temos. Me emocionei!!
Como disse, ou pensei em dizer antes, pensamos que só nossos filhos são o máximo né?
Bom, eu me defendo dizendo que é a única que tenho, portanto a única que presto mais atenção.
Agora tenho que ir porque tenho zilhões de coisas em casa e na rua pra resolver.

domingo, 4 de julho de 2010

Agora é a vez dela...

...ser mordida!
Todo mundo sabe que toda criança - ou quase todas - morde.
Não é segredo pra ninguém que se trata de uma fase comum à quase todas elas; umas com mais intensidade, outras com menos.
Luísa começou a morder minha mãe, meu marido e eu com aproximadamente 1 ano de idade, ainda em casa. Foi pra escola e aí desembestou a morder os amiguinhos. Foi do primeiro ano de vida até mais ou menos 2 anos e meio, achando que a mordida era a solução pra reclamar ou conseguir as coisas. E só agora é que ela entendeu que morder não é legal.
Até então, sempre li muito à respeito, procurei fazer o que era pra ser feito - conversar, mostrar que estava errada, e que daquele jeito não conseguiria nada, que machucava os amiguinhos, que eles ficaríam tristes com ela e poderíam até mordê-la também. Sempre falando claramente, repreendendo na hora que acontecia uma mordida, ou depois, quando a professora me trazia ela no final do dia com a notícia de que Luísa tinha mordido "1" amiguinho, ou "2", ou a professora.
E por ela ter passado já por duas escolas, cada uma lidou com a situação de maneiras diferentes. Na primeira escola, quando a professora vinha me trazer a Luísa, ela me chamava de lado e contava o que havia acontecido, de uma maneira sábia, inteligente e consciente, dando a entender que sabia que se tratava de uma reação normal da criança.
Já a segunda e atual escola, fez da minha filha uma monstrinha, e quando vinha me trazer a Lú, vinha com uma cara cheia de preocupação, dizendo que minha filha tinha mordido os amiguinhos, que ela fazia isso talvez porque ela nunca tinha chupado chupeta ou tomado mamadeira. Dizia que a Lú era a única na escola que mordia os amiguinhos e que temia que os outros pais - putos, claro - tirassem os filhos de lá porcausa dela. E chegou até a falar pra Luísa se morder pra ela ver como doía. E aí, minha filha começou a se morder.
Gente, vâmo combiná. A coisa é quase bem simples. Não se trata de um caso especial, e sim de uma reação comum às crianças. É o jeito que elas têm pra se defender, pra brigar, pra reclamar. Pelo menos é assim que vejo, e com paciência, a gente consegue resolver, e sem traumas.
Entendo que cada um tem uma opinião à respeito desse assunto, mas a solução é a mesma pra todos: muita conversa e carinho.
Entendo também que para uma mãe é super chato e doloroso ver a filha ou filho com uma marca de mordida. Sei que é pra ficar puto mesmo. Não que eu tenha ficado, pois minha filha sempre foi a mordedora, e a única vez que apareceu mordida, eu nem dei muita bola. Olhei pra ela e disse que eu sabia que isso iria acontecer. E pensam que ela parou de morder logo em seguida? Que nada! Levou um tempinho ainda.
E entendo também que a escola é papel importantíssimo nessa fase, e que tem que trabalhar super em conjunto com a família, tem que conversar muito com os pais e saber como a coisa é feita em casa e tentar ajudar do jeito mais parecido possível na escola. A professora mandou minha filha experimentar se morder e ela realmente começou a se morder quando ficava brava. Imaginem!
Pra mim, isso não é pedagogia. Não mesmo. É falta de experiência, de leitura e conhecimento.
Mas o importante é que a fase já passou; e que como todas elas, passou mais ou menos rápido.
Hoje estávamos no parque e encontramos uma amiguinha da escola. Em menos de 5 minutos, ela tentou morder a Luísa e depois puxou o cabelo dela.
Não esquento não. Sei que logo passa e ela aprende que não pode.
Mamãe Gi, só tenha paciência e sabedoria.

sábado, 3 de julho de 2010

A Memória

Conversando com uma amiga ontem, fiz o comentário de que nunca fui uma pessoa de reparar muito nas crianças em geral - isso antes de engravidar e de ter minha filha. Nunca fui super chegada à elas. Nunca fui daquelas "tias" que têm uma criatividade incrível para entreter, divertir e fazer uma criança se apaixonar. Pelo contrário: as crianças não viam a menor graça em mim! Que sorte! Mas isso foi antes, beem antigamente. Com a Lú na minha vida, claro que passei a reparar em todas elas, e a entendê-las. Até criativa eu fiquei!! E pela falta de atenção nelas, é que eu tenho um certo grau de dificuldade pra dizer nossa, como ela é inteligente! Tá adiantada pra idade, não? É grande! Mas já anda? Mas já fala? E como fala bem? Enfim...sou meio sem noção, e como toda mãe,acho que minha filha é o máximo da inteligência, da esperteza e do tamanho. Fico boba como minha filha tem a capacidade de guardar letras de músicas facilmente. E ambientes físicos? Exemplos: Há duas semanas atrás fomos na casa do João Vitor, amiguinho da escola. Única vez, e ontem passamos em frente ao prédio e ela gritou: Mamãe, a casa do Jão Vitu! Músicas: fora as que estamos ouvindo no momento (Palavra Cantada), ela de repente começa a cantar aquela música mais chata do DVD Xuxa Só para Baixinhos, aquela que sempre pulamos porque é sem graça. Ou então ela vem com uma música de capoeira, do CD mais novo do Mestre Suassuna, que nem eu sei cantar. De fato, sempre ouvimos que nunca se pode falar nada na frente da criança que você não queira que seja repetido por ela mais tarde. Então, por esse motivo, enchemos nossa casa e nosso carro de música e alegria. Aqui um videozinho do Palavra Cantada, que todo mundo conhece - acho que só eu não conhecia - e que é um dos preferidos meu e da Luísa.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Saidinha do Papai e da Mamãe

Ontem foi aniversário de uma amiga-vizinha, e como íam só casais, resolvemos deixar a Lú com minha mãe, assim poderíamos curtir melhor o jantar.
Nem demoramos muito, mas quando chegamos pra buscá-la, ela já estava dormindo, e não acordou quando peguei ela no colo e fomos pra casa.
Mas hoje às 6:10h ela me chamou. Fui até o quarto dela e ela estava sentadinha na cama. Não acendi a luz, claro, e fui logo deitando ao lado dela, que deitou também. Olha o diálogo:
- Mamãe, onde xê foi?
- Mamãe e Papai fomos num restaurante só com adultos.
- Mas eu quelo í no restauante!
- Lú, você não ia gostar. Tinha só adulto lá.
- Eu dumí sozinha na Vovó Ôse. Comi macaão, azitona e quezo.
- Ah que delícia! E você viu o Bruno, a Carol, o Vovô...
- Não, o Búlo tava na icola, a Calol tava na cidade e o Vovô tava lá xim.....quélo tetê, mamãe !
- Vou fazer seu tetê.
- Voxê não, mamãe
- e me abraçou forte - Papai vai fazê meu tetê.
- Papai não tá, filha. Ele foi trabalhar já.
Luísa senta de novo na cama e fala:
- Dexa eu falá no seu ovido. Eu qué-lo te-tê.
- Tá bom, eu vou fazer.
Tomou o tetê e dormiu até às 09h.
Não tem preço um abraço gostoso e um coxixo bem cedinho. É só pra gente começar o dia muuuuuuuuuuuuuito bem.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

O xixi e sua independência

Luísa tem um peniquinho rosa, estilo troninho, que ela adora. Este fica no banheiro de cima, porque tem mais espaço pra ele lá. E no banheiro de baixo temos um adaptador de vaso sanitário, já que esse banheiro é minúsculo!
Ontem ela acordou, e enquanto eu preparava o pãozinho dela com manteiga, ela me disse, já no meio da escada: "Mamãe, vou fazê xixi nu meu pinico, lá em xima!". Nessa hora nem adianta mais eu tentar fazê-la descer. Desencanei e continuei fazendo o que estava fazendo. Logo ela desceu a escada "di bumbum" e pronto.
Fomos pra escola e depois fui ao shopping com umas amigas. Quando cheguei, tinha o apartamento todo pra limpar, já que minha "querida e linda e viada faxineira" não apareceu.
Subi, e só aí lembrei que Luísa tinha feito xixi sozinha, e nem tinha subido pra checar como ela tinha feito, e se tinha feito direitinho, sem muita sujeira. Pois bem.
E não é que ela realmente fez xixi, limpou a "piliquita", deixou a fralda enroladinha no cantinho do vaso, jogou o xixi do penico sozinha no vaso e só não deu descarga porque não deve ter alcançado.
Minha filhinha tá ficando muito independente já!
Como o tempo passa!!

Cupcakes pra Copa

Atrasada, mas estão aqui os Cupcakes que fiz para assistirmos ao penúltimo jogo do Brasil aqui em casa. Acho que amanhã vou fazer mais !!



Às vezes fazer xixi é complicado

Post pra falar que o desfralde da minha filha foi a coisa mais simples do mundo. Nada de stress e nada de muito xixi e cocô no chão.
Fomos pra Bahia em janeiro deste ano, ficamos 19 dias lá e isso foi um test-drive para o desfralde, já que Luísa passou a maior parte desses dias só de biquini e calcinha. Na época ela estava com 2 anos e um mês. Não que ela me pedisse pra ir ao banheiro, mas de biquini, abria as perninhas e ficava olhando o xixi sair. Coisa mais engraçada! E fora da praia, deixava-a de calcinha, e é claro que o xixi escapava também, seguindo o mesmo esquema do biquini: abria as perninhas e ficava olhando o xixi escorrer pelas perninhas.
Quando chegamos em casa, em Sorocaba, decidimos não colocar mais fralda durante o dia. Foram só dois dias limpando o xixi que escapava. O cocô demorou mais pra ela pedir pra fazer, ou aprender a hora do cocô sair e tal. Mas também não foi nada difícil. Hoje eu ainda coloco fralda pra ela dormir, mas só por precaução. Ela acorda sequinha sequinha, e Deus que me perdoe dizer, tem dias que eu até reaproveito a mesma fralda da noite anterior. Questão de economia. Porca, eu sei, mas economia. Esquece isso, tá? Se alguém comentar o que eu falei eu nego até a morte! Rsrs.

Mas onde quero chegar é aqui: quem tem menina sabe do perrengue que é quando a pequena fala "quelo fazê xixi, mamãe" no trânsito, ou na rua, onde não há banheiros.
Antes de ontem, por exemplo, fomos ao banco de noite fazer um depósito no caixa eletrônico e minha filha precisou fazer xixi. E não tinha onde, e não dava pra esperar. Você não sabe o que faz nessa hora. E então foi ali, na calçada, abaixadinha, molhando a sola do tênis, que ela fez o maior xixizão, sem o menor constrangimento. Que dó. E que saco. Porque isso não é o certo, por ser uma menininha.
E quando precisamos usar algum banheiro público, sujo e fedido!! Tenho que pendurá-la segurá-la, e nessa hora, haja costas, braços pra tanto peso. Parece que o xixi nunca vai acabar.
A única sugestão pra essas horas, já que a criança nem sempre consegue esperar encontrar um banheiro, é que a gente tenha lencinhos umidecidos na bolsa. E se conseguirmos fazê-las esperar por um banheiro, ótimo, senão....Vai ali mesmo, num cantinho, abaixadinha, molhando a sola do tênis.