Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Toma lá, dá cá...

E na ânsia de escrever rapidamente em letra cursiva, Luísa ainda faz uns rabiscos, fingindo estar escrevendo alguma coisa.
-"Luísa, que isso, filha! Pára de fazer rabisco e escreve palavras que você já sabe escrever em letra cursiva."
E então, tomei esta:
-"Não é rabisco coisa nenhuma, mãe. É arte moderna. E até parece que você não sabe disso!"


sábado, 23 de agosto de 2014

O caderno de caligrafia - minha primeira vez

Dia desses, Luísa levou pra casa, pela primeira vez, seu caderno de caligrafia, com duas páginas de lições pra fazer - ou pra ser mais específica, duas páginas da bendita letra G.
Quem já passou por essa experiência? Ah, claro que todo mundo, mas o que quero saber é quem que já passou pela experiência de sentar com a filha numa mesa e fazê-la escrever DUAS PÁGINAS de letra cursiva, sem se estressar ou entrar em desespero?

Nossa primeira experiência foi assim: ela fazia, eu apagava, ela reclamava, levantava, e eu a chamava. Ela escrevia novamente, e a perna do g minúsculo saía curta demais. Eu apagava, ela chorava, eu reclamava, e ela, com raiva, escrevia de novo. E acertava. "Vamos para a próxima letra G", eu dizia. E ela chorava, jogava a borracha longe, fazia um risco de raiva no meio do caderno. Eu brigava, apagava e ela, com um bico gigante, escrevia novamente. "Gelo,gato, Gina, goiaba...tá lindo, filha! Olha que capricho! Tá vendo como é fácil! Mas temos que praticar!" E ela reclamava, a mão doía, a borracha caía. Ela chorava, esbravejava, mas fazia. E isso tá virando uma poesia, certo? Poesia de uma mãe que, a partir de agora, sabe que vai ter que ajudar com o caderninho de caligrafia, com toda paciência do mundo, mesmo querendo, no fundo, sair correndo.

Mas agora falando sério, conversei com a professora sobre isso. A instrução que recebi, e isso é de utilidade pública, é que não devemos apagar as palavras se elas estiverem fora da linha. Devemos observar, pelo menos agora no início, se as letras estão certas, e se o movimento da mão, conforme a criança desenha as letras, está correto. E mais nada.

Tadinha. Estressei tanto minha filha pela manhã, que à tarde nem o cabeçalho ela quis escrever. Rsrsrs...coisa de iniciante. Mãe iniciante.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

A festa do papai

Ansiosa com a festa surpresa que ela mesma inventou para o aniversário do pai, Luísa arrisca:
- "Papai, qual é o seu super herói preferido? Homem Aranha, Batman ou o Super Homem?
E o pai, malandrão:
- "Mulher Maravilha, filha!"
Luísa olhou pra mim, sorriu e acabou a conversa.
10 dias depois.....



Feliz Aniversário, Papai!




quarta-feira, 16 de julho de 2014

Eu uso óculusssss

Agora Luísa usa óculos.
Problemas com a visão?
Que nada. O nome da doença é lombriguite aguda.

Há um tempinho atrás, Luísa começou a reclamar de dor nos olhos, coceira, dor de cabeça e até um pouco de dificuldade para ler. Insistindo no assunto, mas já sabendo que alguma amiguinha da classe dela tinha começado a usar óculos, e que, provavelmente se tratasse mais de uma vontade do que de uma dificuldade, resolvi levá-la ao oftalmo. Sabe como é mãe, né? Não custa verificar.

O resultado foi engraçadíssimo: ela não só enxerga super bem, como lê super bem também. A velocidade com que ela falava as letrinhas para a oftalmo foi fantástica. Mas percebendo, pelo meu olhar e tom sarcástico, ela nos receitou um óculos: 0 num olho e 0,25 no outro.

Tá toda felizona!

.


sábado, 28 de junho de 2014

Jardim Botânico

Outro lugar bem bacana para ser visitado nas férias é o Jardim Botânico Irmãos Villas Boas.
Fica próximo ao Parque das Águas, e é um lugar lindo para quem gosta de tirar muitas fotos.






sexta-feira, 27 de junho de 2014

Um programa para as férias


Para os que são de Sorocaba e região, vale a pena se programar e fazer a ciclovia da marginal Dom Aguirre de bike com a criançada. Apesar de movimentada, a pista está linda e florida.




Eu juro...

...que nunca mais vou ficar brava e fazer cara de mal para minha filha. Prometo dar broncas somente sorrindo.

A dermatologista já havia me recomendado botóx, mas nada melhor, nadinha mesmo, que a opinião sincera de uma criança, para te fazer perceber que você realmente precisa de um botóx, urgentemente.

Enquanto eu e meu marido conversávamos, Luísa sassaricava entre nós:

-"Mãe, me dá uma atividade pra fazer?" Ela me disse, trazendo um livro cheio de atividades.
Escolhi uma, na qual ela teria que desenhar uma pessoa da família e colocar seu grau de parentesco. Claro que ela decidiu me desenhar, já que o pai é muito difícil, por conta das tranças nos cabelos.
Detalhista como é, começou a contar até as pintas do meu rosto.
Quando me olho naquele desenho, vi um monstro. Uma bruxa, na verdade:

-"Luísa, o que é isso na minha testa? E essas bolas no meu rosto?"
-"Mãe, é que você tem esse risquinho aqui na testa (explicando sobre a minha ruga de expressão) e estas bolinhas assim, ó (falando sobre umas pintas despigmentadas)".

Jurei, que à partir de hoje, só vou olhar para ela sorrindo.