Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

As cuecas do papai

Organização é tudo. O cuidado, o carinho, a neura que temos com relação à lavagem das roupas dos nossos filhos quando bebês são significativos. Sabão de coco, lavagem à mão, quem não fez isso? Quem tinha coragem de colocar aquelas roupas mais lindinhas na máquina de lavar? Eu não tinha! Me lembro de lavar todas as roupas da Luísa e depois deixá-las um pouquinho de molho em amaciante para bebês. Que delícia de cheirinho.

Com o passar do tempo e a criação de anticorpos, comecei a lavar as roupas dela na máquina, com sabão normal, mas sempre separadas das nossas. Continuava com o amaciante para bebês, só por causa do cheirinho. Com mais um pouco de tempo passado, tive que deixar o amaciante de lado, pois Luísa adquiriu uma alergia respiratória que me fez excluir tudo quanto era cheirinho gostoso.

Hoje as coisas são bem diferentes. Com a correria dos meus dias, por conta de horários apertados, me dou ao trabalho de separar as roupas aqui de casa por cores só, mas todas juntas: as minhas, as da Luísa e as do marido. Lavo as brancas (incluindo calcinhas e cuecas brancas)....as pretas (incluindo calcinhas e cuecas pretas)...as coloridas (incluindo calcinhas coloridas)....os panos de cozinha...os panos de chão....as toalhas e lençóis de cama...e é isso.

Só que foi Carnaval, gente!!! Época de tirar as fantasias da Lulú do guarda roupas e botar pra sambar: na escola e no Sesc. O problema foi na hora de lavá-las! Com a correria dos meus dias, por conta de horários apertados, coloquei a capa de Elsa (Frozen) na máquina de lavar, junto com algumas outras peças coloridas. Misturei também umas cuecas brancas e pretas do marido, umas calcinhas minhas e uma bermudinha jeans. O resultado foi catastrófico!!! Ficou tudo brilhante! Tudo com glitter! A bernudinha, as calcinhas, as peças coloridas e as cuecas do papai. E não é pouco glitter, não. É muito glitter!

Umas cinco cuecas com glitter enfeitam a gaveta dele.
E ele, ó:


Ficou felizão comigo....
Agora vou lá escovar as roupas todas...





quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Primeiras provas

Já faz mais de dez minutos que Lulú está assim: diz que estudando matemática.




Sempre disse que gostaria muito que Luísa puxasse o pai no quesito gostar de estudar, pois eu aqui nunca fui fã. E agorinha mesmo, saio do banho e me deparo com a cena acima: Sssshhhhhh....tô estudando matemática, mãe...

Só agora, no segundo ano do ensino fundamental é que ela vai começar a ter provas e paira no ar uma mistura de ansiedade e medo. Sei lá quem colocou isso nela: uma amiguinha que tem irmão mais velho, uma professora, não sei. O que importa é que acho que estou conseguindo tranquilizá-la e fazer com que se empolgue.

Esse cantinho da foto está super improvisado - por ela, claro! Meu objetivo é trocar a TV de lugar, comprar uma cadeira roxa que ela tanto quer, uma luminária bem fofa e liberar um espaço bom nesse canto para que ela ame ficar aí.
Encontrei umas ideias de cantinhos de estudo e divido aqui com vocês.
Estou me inspirando.





Não vejo a hora.

E no Carnaval o que é que teve?

Teve folia e maracatu, teve almoço em família, teve um dia de piscina, teve cineminha e teve um dia inteirinho de preguiça.




quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Muito mais para o seu bebê


Agradeço à JOHNSON´S pelo convite para o Lançamento global de sua nova tagline 
"Muito mais para o seu bebê". 
#somuchmore


O evento aconteceu simultaneamente em 7 países - Estados Unidos, Brasil (hoje, no terraço do JK Iguatemi, em São Paulo), Reino Unido Arábia Saudita, Índia, China e Filipinas, e contou com a participação de alguns especialistas da marca.

Desde que nascem, os bebês precisam de carinho e cuidado, precisam do toque dos pais, que lhes passa segurança, intimidade e amor. Do contato pele a pele. A hora do banho deve ser um ritual de conhecimento e vínculo. Seria ótimo se os PAIS pudessem participar mais deste momento, pois 95% dos banhos são dados por MÃES. Não chego a dizer que posso contar nos dedos as vezes que meu marido se envolveu na hora do banho da Luísa, mas posso afirmar que este momento é mais nosso - meu e dela - do que deles dois.
Por outro lado, posso dizer que Luísa é embalada no sono quase todas as noites com o toque do pai: ela dorme com massagem nos pés. Isso a acalma e, vem cá: meu marido é craque na técnica. Juntou as mãos, um óleo de massagem ou um hidratante e pode-se contar dez minutos pra pequena estar dormindo relaxadamente.

Ganhamos um kit com todos estes produtos JOHNSON`S e mais uma bolsa super prática que pode ser usada como trocador.
Obrigada JOHNSON´S, por realmente se importar com a opinião das mães. 




quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

E por falar em malandragem...

Ontem no jantar, Luísa me pegou de surpresa com uma pergunta que, digamos, tive que pensar pra responder:
-"Mamãe, você já mentiu?"

Dei aquela enroladinha básica, aquela que nos dá tempo de pensar em segundos:
-"Se eu já menti, filha? Já sim."
-"Por que?"

Então lembrei-me de uma dica muito legal da Mônica, quando escrevi sobre como contar a verdade à respeito do Papai Noel:

-"Ah, filha. Às vezes mentimos pra fazer alguma surpresa. Lembra de como já fiz com você? Surpresaaaa!! Era brincadeira!!! É isso."
-"Ah!" 

-" Mas por que tá me perguntando isso? Você já mentiu?

E aí, a malandragem.
Com os dedinhos fazendo aquele gesto de quantidade - todos juntos batendo as pontinhas - ela diz:

-"Muitas vezes. Agora mesmo, falei que tinha escovado os dentes, mas menti. Mas foi só pra não te deixar triste."

Agora, vamos começar a lição tudo otraveiz...

*
*
À respeito da mentira, sabemos que o assunto é muito mais complexo que o simples motivo que dei à ela. Mas na minha opinião, por hora está bom. É como a criança perguntar sobre sexo. Para a idade dela, responderia simplesmente o necessário, sem grandes detalhes e complexidades. No momento certo ficarei feliz em explicar tintim por tintim sobre tudo o que ela me perguntar. E este momento certo, quem saberá quando será somos só nós aqui de casa. Né?  

sábado, 31 de janeiro de 2015

Falando a verdade sobre as férias

"Férias é tudo de bom". Quer frase mais clichê que esta e que todo mundo concorda?
Bem. É sobre isso que quero falar.

Começo de férias é aquela empolgação. A primeira segunda-feira sem obrigações é sempre a melhor segunda -feira do ano todo. A gente acorda animada até pra fazer a faxina da casa. Faz planos para o mês inteiro, que inclui cinema, parques, bicicleta, casa da vó, shopping, uma viagenzinha, amigas em casa, TV, piscina, etc... quase que não cabe no tempo. Driblamos os horários, comemos além da conta, e fazemos coisas que nunca seriam possíveis em épocas de labuta. Primeira semana, segunda...e aí chega a terceira semana, e é quando as coisas começam a mudar um pouquinho. A preguiça toma conta do nosso corpo. A paciência já não é mais a mesma. Brincar de Barbies e Pollys passa a ser um saco e pensar em entrar no carro e dirigir-se a um parque, nem morta: só se for depois das 7 da noite, quando o sol e o calor já diminuíram. E aí você começa a pedir que seu filho te chame de tia, porque não aguenta mais ouvir a palavra mããããããeeeeen e começa também a rezar para que a quarta semana passe voando.

Sou professora e minhas férias coincidem com as da Luísa. Isso é muito legal visto de um lado, mas por outro, sabe o que significa? Que eu não descanso nadinha. Atualmente, não me parece estranho dizer que uma mãe se cansa de um filho. Aliás, isso é a mais pura e possível verdade. Me dê uma rasteira quem achar que isso é absurdo e que nunca se sentiu assim.
Quando ficamos longe por um período, podemos descansar, mudar o foco, o assunto, mas se estamos juntos o tempo todo, tendemos a nos cansar, a nos estressar, a enjoar. Confere? Vamos lá: acordamos juntas, tomamos café da manhã juntas. Enquanto cozinho, ela brinca ou vê TV, mas sempre nos comunicando; uma parada com o arroz para ver o filme que vai passar,uma brincadeira nova que ela inventou ou até mesmo a roupa que ela escolheu pra colocar. *"Mããããããeeeen, me checa?!". Almoçamos juntas, planejamos nosso dia juntas, vamos à padaria, ao mercado, ao banco   **(oi? em que mundo você vive, Fernanda?). Saímos e voltamos juntas. E quando papai chega em casa, que eu penso que vou ter cinco minutos de tempo livre para tomar um banho em silêncio, ela grita: "Manhêêê, vem aqui!! Quer brincar comigo?"
Alguém se identifica?
E então eu grito, faço cara de má vontade, brinco sem querer brincar, brigo, brigo com o marido ... fico querendo sumir! Até minha filha fazer cara de coitada. Aí eu me arrependo. Coloco a cabeça pra pensar e lembro de tudo aquilo que li em blogs, na internet, nas revistas, sobre não gritar, não estressar.. e começo tudo de novo, na santa paz, até o próximo Mããããããããeeen manhoso ou teimoso.

Finalmente, semana que vem voltamos à nossa rotina de aulas; elas com as dela e eu com as minhas.
E juntas.  Porque férias nem sempre é TUDO de bom, mas com certeza esperaremos ansiosamente por nossas próximas.


* "Mããããããeeeen, me checa?!"
Expressão usada por Luísa, solicitando minha presença no banheiro, a fim de checar se ela limpou o bumbum direito ou não.

**oi? em que mundo você vive, Fernanda?
Tenho uma amiga que diz: "Minha nossa, Fer, você ainda vai ao banco, nos dias de hoje!!"
Sim, gente, eu vou sempre ao banco, para efetuar depósitos somente. As outras transações eu já consigo fazer aqui de casa mesmo. rsrss..