Pesquisar este blog

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Retrospectiva

2011 para nós aqui em casa foi um ano muito bom.
Trabalhei fora de casa, e quando decidi que isso não era mais pra mim, meu marido me deu total apoio e segurança, inclusive financeira.

Decidi então fazer outro blog. Meio tímido, meio inseguro, ele entrou no ar em novembro, mas será agitado pra valer em janeiro.

Decidimos então definitivamente mudar Luísa de escola. Por alguns momentos me achei louca por pensar ter me arrependido, por achar que Luísa vai sofrer, e que a tal escola era a mais adequada e perfeita pra ela. Mas foram simples gestos, palavras ditas e até não ditas, que me fizeram ter certeza absoluta da escolha que fizemos. Luísa vai mesmo para outra escola.

Em 2011, Luísa ficou muito pouco doentinha. Quase nada de tosses, quase nenhuma febre (talvez uma ou duas), uma infecção leve na garganta, e nada de machucados (ainda não chegamos nessa fase, certo?).

Notícias boas, notícias cabeludas, e algumas coisas me fizeram ter certeza de que realmente fomos abençoados por Deus e que Luísa, minha filha, é um anjinho que veio para nos ensinar muito, principalmente que o amor entre o pai dela e eu é essencial para o crescimento, a educação, o bem estar e a felicidade dela.

Agora encerro meu ano praticamente aqui, já que a correria para fechar as últimas malas é hoje.
Ficaremos 18 dias na praia, em vários lugares da Bahia.
Claro que diante de tanta programação, planejamento e listas de "não esquecer de...", me esqueci da vacina de febre amarela com 10 dias de antecedência. Antes tarde do que nunca, tomamos ontem, com 2 dias mesmo.
Ainda continuo sofrendo para vacinar minha filha. Me dá dor de barriga sempre. Mas vida de mãe é assim mesmo, né?

Então que 2012 comece muito bem, para todos que passam por aqui.
E que este siga maravilhoso. De coração.
Um beijo gigante.
Feliz ano Novo!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

A de H

E o alfabeto Lulusístico é ótimo demais!
Pois é, minha gente.
Depois do A de amôi, A de Tia Ana e A de "I love you", Luísa veio com esta: A de H.
Não é demais?

sábado, 24 de dezembro de 2011

E no Natal...

...e depois dele, muito amor, paz e saúde pra todo mundo, principalmente pras crianças!!
Um super beijo!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Acorda filha!!

Mais uma da série "Mães empolgadas"...

Procurei a semana toda o itinerário da bendita carreata da Coca-Cola para ver mostrar os caminhões, o Papai Noel e o Urso para a Lulú.
Hoje...(justo hoje!)...Luísa estava capotada no carro, cansada do dia todo de piscina, quando de repente...demos de cara com os caminhões!
Lucas diz que vai procurar um lugar para estacionar.
Eu resolvo descer do carro ali mesmo, acordar Luísa e me encontrar com o marido depois.
Imagine a cena.
A criança acordou assustada com a mãe maluca falando "Papai Noel, filha! O Papai Noel da Coca-Cola!"


Bom, pelo menos desta vez ela colaborou com minha empolgação e saiu já sorrindo e acenando pro bom velhinho e seu amigo urso. Pelo menos isso.
Bom, e agora? Ela está acordadíssima aqui, sem o menor sinal de sono ou cansaço!
hehe...
Adoro essa vida de mãe louca, que deixa a criança perturbada.

Programação furada

Pois é, uns dizem que nós mães temos mania de querer que as crianças façam o que a gente gosta.
E sabe que é mesmo?
Depois de 15 dias mais ou menos de planejamento e empolgação (acho que mais eu do que ela), fomos ao shopping para sua primeira oficina de cupcakes.
Me pergunta se ela participou?
Não.

Agora, o difícil mesmo foi aguentar o marido tirando sarro de mim!
Humpf!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Conversas de louco

"Mamãe, e se você tivesse duas filhas?"
"O que tem Luísa?"
"E se você tivesse duas filhas?"
"O que tem isso, filha?"
"Eu telía com quem dumí e não ficalía com medo de ficá sozinha".

Não sei o que é pior:
arrumar outro filho ou continuar dividindo a cama no meio da noite com ela! Neste calor!
.
.
"Papai, tô afim de um tetezão".
(vejam bem o "naipe" do vocabulário)
"Você faz pá mim? Mas não conta pá mamãe, não, puquê eu já tomei um tetê agola mesmo, mas é que eu quelo ôto".
.
.
"Mamãe, você vai colocar essa falda na sua piliquita? Puquê?"
Por que, hein, minha gente? Por que? O que eu digo pra ela? Não sei de verdade. Alguém tem uma dica?
.
.
Meu marido e Lulú na sala e começa a conversa:
"Luísa, sabia que você é muito inteligente?"
"U-hum. Sabia sim!"
"Sabia que quando você estava na barriga da mamãe, você ia na capoeira e quando o berimbau tocava você pulava?"
"U-hum. Sabia! Eu lembo!"
"Lembra? Lembra de quê?"
Luísa para ele:
"Você sabia que quando eu tava na barriga da minha mãe eu já sabia que eu ia nascer pá você e pá minha mãe? Eu que escolhi vocês!"
Ai que medo!!!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

A festinha de casa

Tenho certeza que esta foi a festa que minha milha mais se divertiu até hoje!
Pela fantasia (que, como a Raquel,  também acho brega usar em dia de festa, mas o que a gente não faz para obedecer, paparicar, mimar, estragar e embreguezar agradar os filhos!), pela monitora maravilhosa que contratamos, pelo ambiente (um quintalzão digno da casa de vó mesmo, bem rústico, gramado e delicioso), pelo clima (estava calor, sol, dia brilhante...), enfim, só não foi perfeito porque não tinha garçon (mas da próxima vez terá!).

Como sempre, comecei a preparar tudo com antecedência e por mais que eu diga que "ano que vem será diferente", eu sempre invento de fazer tudo. Ano que vem será diferente. Mas tive ajuda de várias pessoas: minha tia costurou as toalhas, minha outra tia pintou as bandejas, minha outra tia ajudou com os cakepops, fez bolo de cenoura, minha prima fez os laços, minha vizinha emprestou a tesoura boa, minha mãe cedeu o quintal e fez a salsicha. Esqueci alguém? Sim, importantíssimo: a Raquel me mandou as tags e bandeirolas, que deram o toque final ao que eu tinha planejado fazer. Obrigada meeeeeesmo, Ra!


Da festa, estou cansada até hoje, mas estou realizada! De ver que não só minha filha, mas que todas as crianças que estavam lá, aaaaadoraaaaaaram tudo. Realizada por ter recebido elogios de todos, e um especial que recebi de uma amiga da minha mãe: "Percebe-se que você faz com amor mesmo, faz com o coração". É isso mesmo.

A mesa que montei embaixo do pé de limão

As latinhas de Nescau que pintei pra colocar florzinhas

A única Branca de neve e os únicos 7 anões da festa, foram comprados no Ceagesp

O que fazer com as latas de leite Moça, hein?

Chamamos este lugar de "cantinho dos excluídos". Acredita que não teve excluídos?


Tá, tá...esta é uma flor da minha mãe. Não fazia parte do cenário, mas ela estava lá!

Criançada linda

Minha Branca (ou Preta?) de Neve

E no final, um belo prato de arroz, feijão e salsicha pra matar a fome da aniversariante

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Post relâmpago - UPDATED

10 horas da manhã, e Luísa está que não se aguenta pra chegar a hora da festinha. Papai então diz:
-"Luísa, sua festa vai demorar um pouco. Tem que almoçar ainda, e..."
-" Mãe, mãe, eu quero almoçar agora. Tô com fome."
.
.
 -"Vamos, Luísa! Vamos porque daqui a pouco o povo começa a chegar pra sua festa!"
-"O polvo? O polvo e a pólva?"
.
.
Primeiro dia de férias da Lulú.
Milhões de coisas pra fazer ao mesmo tempo (que novidade, Fernanda!).
Várias programações.
Várias obrigações.
Mala pra fazer.
Guarda-roupa pra organizar.
Brinquedos pra doar.
Praaaaia à viiiiistaaaaaaaa!!
.
.
A festa de aniversário da Luísa foi uma delícia!
Se não tivesse conseguido montar a mesa do bolo sob o pé de limão, não teria ficado tão feliz!
Assim que puder, que conseguir, que Luísa deixar, conto sobre a festa e mostro algumas fotos.
Ah! Pelo menos a foto da mesa do bolo está aqui.



sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Feliz Aniversário, filha.

Que você continue crescendo:
Espiritualmente, intelectualmente, emocionalmente e de tamanho, né, filha.

Te amo mais que tudo.
Feliz Aniversário.

uns 10 dias...

uns quase 4 anos.

Criança sabe tudo

Que perigo isso!

Ontem, já cansada demais, tive que colocar Luísa no banho. Marido estava ocupado na internet, então lá fui eu.
(depois de ter pedido à ele que fizesse isso pra mim, e ter ouvido que ele ainda tinha que imprimir algumas coisas)!
Beleza.

Depois do banho, fomos pro quarto dela.
Enquanto a enxugava, falei:
-"Filha, mamãe tá tão cansada hoje!"
E aí a observação dela:
-"Você queria que meu pai tivesse me dado banho, né, mamãe?"

Gente, isso não é uma reclamação, ok? Só estou contando sobre a percepção dela. E também querendo dizer que adoro esses lances.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Ansiedade pré festa I

E chegou o dia da festinha da escola!
A data mesmo é amanhã, mas como Papai Noel fará visita por lá também, resolvemos fazer a festinha hoje, assim não haveria acúmulo de atividades.

Luísa acordou às 6 da manhã.
Horário comum: 7:30h, com muito esforço e preguiça.
"Mãe!"
Abro os olhos com muito sono ainda e escuto:
"Você não vai levantar pra me levar pra escola? É minha festinha de aniversário hoje, mamãe!".
Nossa! Depois dessa!

Das 6 até às 8:30, só se falou na festa. Nunca foi tão fácil dar banho, colocar uniforme e pentear o cabelo!

Como disse em algum post recente, a ansiedade minha passa pra ela. A agitação toda, a correria, os preparativos, as conversas, os planos, enfim, a loucura toda. Por um lado é legal, porque ela participa direta e indiretamente da festa, curte antecipadamente e terá lembranças muito especiais. Por outro, a monstra da ansiedade! E como pessoa ansiosa que sou, isso definitivamente não é legal!

Enfim, bóra lá que ainda tem trabalho!
Quer dar uma olhadinha no que fizemos ontem para hoje: espia só que bonitinho!!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Momentos que não podem / não devem / ou podem? ser fotografados

Final de ano, marido na correria (como sempre acontece...) para finalizar os compromissos, entregar projetos, realizar os eventos e poder sair de férias numa boa, sem deixar nada pra trás,  Luísa acaba sentindo falta dele!
Esta semana, em especial, ficamos sem ele quase todas as noites, e acabamos fazendo coisas sozinhas, como ir ao shopping, comprar presentes, ver o Papai Noel, assistir ao coral, etc...
Ontem, Luísa já com saudades, foi dormir falando nele, pedindo por ele, mas tudo o que conseguiu foi falar com ele por telefone. O suficiente para tranquilizá-la e fazê-la dormir em paz.
Hoje, acordou com ele ali já, e colou nele. Colou.
Colou tanto que, imagine a cena:

Marido = banheiro =  número 2 = porta aberta
(momento escatológico familiar: o casamento dá nisso!)
Luísa chega de mansinho, coloca uma cadeirinha ali ao lado dele
(já fiz muito isso!)
Os dois de mãos dadas, se divertindo, olhando o caderno de atividades da escola. Super cúmplices.
Até no fedô!

Fala sério?
Momento lindo para uma foto (hein?)

Que pena que nem tudo podemos - ou devemos - fotografar!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Cantata de Natal

Um espetáculo!
É assim que defino a Cantata de Natal que acontece na Estação Ferroviária de Sorocaba até dia 18 de dezembro. Programa acertadíssimo para Lulú e eu ontem à noite, já que estávamos perdidas, sem papai e sem vontade de irmos para casa.

O coral, formado por 120 crianças de um projeto social da cidade - belíssima iniciativa, por sinal -  acompanhado de um elenco representando a história da ferrovia, de Sorocaba e no final, a história do menino jesus, deu show. Show! Show!
Luísa ficou encantada e paralisada durante a hora e meia de música e teatro.
Cenário 3D, repertório perfeito, incluindo sambinha e músicas natalinas, muita luz e fogos.
E no final, nada mais bonito que ver a Maria Fumaça em movimento, chegando na ferrovia, apitando, gente!
Foi de arrepiar!
Para quem é daqui da cidade, ou bem de perto, vale a peníssima assistir!!!



No meio do espetáculo, quando percebo, minha filha está de mãos dadas com uma outra criança. Coisa mais linda de se ver.

Adivinha quanto eu te amo?







Para quem pediu a coleção de livros do Itaú Social, não é novidade que os livros deste ano foram melhores que os do ano passado.
Eu me apaixonei especialmente por um:
" Adivinha quanto eu te amo", de Sam McBratney, ilustrado por Anita Jeram.


(Luísa mudou o nome do livro para "As aventuras do Coelho Pai e do Coelhinho")

O livro narra a conversa entre o Coelho Pai e o Coelhinho, que desejam achar um jeito de mostrar quanto seus sentimentos são grandes um pelo outro, mas não é tão fácil assim.

Sempre que conto a história para a Lulú, meus olhos se enchem de lágrimas.
Que frase mais linda é aquela do final:
"Eu te amo até a lua
Ida e volta."

Para quem ainda não leu, corre lá que vale a pena!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Mais sobre a faxineira e as festinhas

Como se não bastasse o "ralado" no tapete da Lulú, Fátima aprontou mais uma na semana passada. Saí de casa e logo meu celular tocou:

-"Oi, Fê? É Fátima (a faxineira). Sabe o que é? Eu fui limpar o lustre da sala, e aí aquele pininho, sabe aquele pininho? Aquele que segura o vidro do lustre? Então, quebrou. Eu fui puxar e quebrou. Mas aquilo é uma porcaria mesmo, né? Muito fraquinho. 
Ai, Fê, você me desculpa?"


O que eu posso fazer, a não ser pedir pra que tome mais cuidado?
Agora, espere o que Luísa te dirá!
Humpf!
.
.
.

Já repararam o tanto que as faxineiras quebram ou estragam nossas coisas? Olha, eu pelo menos fico enlouquecida com isso!
.
.
.
Bom, esta semana será de trabalho dobrado e diário, por conta das duas festinhas de aniversário da Lú. A primeira, na escola, dia 15, e a outra, em casa, dia 17.
Ansiedade à flor da pele, Luísa já acordou me perguntando se era HOJE o aniversário!
Segura aí, filha, que a semana passa rápido!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

E a mochila...

...ficou em casa!

Como assim, Fernanda Piovezani? Leva a filha pra escola e esquece a mochila? Mas como?

Como?
Muita coisa pra fazer, pensamento à mil por hora, e mochila largada no quarto.

Como diz minha mãe:
"É só por Deus, viu!"

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Sobre o vídeo do evento, a pasta americana e o estuprador

Nossa, gente! Saiu hoje, no Mamatraca, o vídeo da tarde super gostosa em São Paulo, em companhia da minha amiga querida Roberta Lippi (que saudades que eu tava de você!), da Priscilla, da Carol, da Anne (grávida linda!), da Camila, da Chris e de muitas mães legais, envolvidas na causa e dispostas a "brincar".
E sabe que vendo o vídeo e ouvindo a Simone Pasquini falar novamente, vejo o quanto foi legal mesmo o que vocês, meninas, nos proporcionaram. Como é importante brincar e interagir de verdade com os filhos, e não "fingir" que brinca. Aliás, o título " Deixe seu celular na prateleira" é perfeito. Coincidentemente, um dia antes dessa entrevista ser publicada, eu tinha prometido pra Lulú que iria desligar o celular de noite.
Muito obrigada, mamatracada, mais uma vez! O site de vocês já é um super sucesso!
.
.
Quem disse ou pensou que cobrir um pedaço de isopor com pasta americana era fácil, levanta a mão!
Eeeeeeeeeeeeeeeeu!
Gente, que coisa mais difícil! E exige muita paciência e sanidade, pra não jogar tudo na parede!
Mas eu vou conseguir. Eu sei disso!
.
.
Terça-feira passada, fui almoçar com minha mãe e meu irmão, em um restaurante próximo da casa deles.
De repente uma movimentação estranha, um cara estranho e vááárias viaturas de polícia.
O que aconteceu foi que o cara pediu pra usar o banheiro do lugar, e na verdade estava se escondendo.
A polícia chegou discretamente, perguntou para alguém que estava na porta se havia entrado ali um cara "assim e assado" e disse "Ele é um estuprador".

Bom, depois te terem colocado o infeliz na viatura, a grande sacanagem é que eles ainda ficam ali um tempo, parados, exibindo o F¨%$#$$#W pra todo mundo.
Sacanagem com a gente, claro!
A sensação é tão estranha! Uma mistura de raiva, indignação, nojo e um fundinho de pena. Mas só um fundinho mesmo, porque sou tão ruim, mas tão ruim, à ponto de mesmo sabendo que o cara
é doente (pois chupava uma chupeta), eu ainda quero que ele se ferre, apanhe muito e...sei lá. Assunto muito complexo este.
Afinal, uma placa de isopor me espera!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O ritmo que a vida tem

"Nossa vida é cercada de acontecimentos rítmicos o tempo todo. Começando na gestação, com o bater do coração, depois com outras frequências biológicas, como as do respirar, piscar os olhos, caminhar, os acontecimentos repetidos de sono e vigília.
As frequências biológicas do próprio corpo foram fundamentais para as noções de tempo e a criação do relógio, bem como no desenvolvimento de artes relacionadas ao tempo, como a música."

"Embasado-se nestes conceitos, fica clara a importância que o ritmo tem na nossa vida, tanto através de influências tanto externas quanto internas. O desenvolvimento e aperfeiçoamento do mesmo torna-se muito importante, pois o ser humano é dependente do ritmo para todas as atividades que for realizar, como na vida diária, profissional, desportiva e de lazer." Wikipédia.
.
.
Neste final de semana que passou, realizamos o último evento de Capoeira do ano, e pela primeira vez, Luísa participou da bateria da roda oficial do evento, junto com o maior de todos os mestres de Capoeira do mundo, Mestre Suassuna.
Roda oficial, sabem o que é isso? Aquela que exige perfeição e muito ritmo, e onde somente quem sabe tocar, toca. E Luísa tava ali, sem exagero e merecidamente, tocando agogô.

Este é o agogô


Ninguém pediu, ninguém insistiu e eu simplesmente mostrei 1 só vez como é que se fazia.
Deve ter um vídeo em algum lugar, mas hoje só tenho fotos.



Filha, que suas atitudes e suas conquistas na vida sejam tão ritmadas quanto a música.
Que orgulho de você.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Segura essa!

Na semana passada, nossa faxineira arranhou o tapete de EVA do quarto da Lulú. Disse que raspou com o rodo, pediu desculpas, e eu como boa pamonha, disse "tudo bem".
No mesmo dia, Luísa chegou da escola, percebeu o arranhão e me disse que não havia gostado daquilo.
.
.
.
.
E a semana se passou, a faxineira voltou, e Luísa não deixou quieto:
-"Ooooi! Bom dia, meu amor!", disse a faxineira.
E Luísa disse assim:
-"Fátima, eu não gostei do que você fez no meu tapete. Tome cuidado com ele".
Ou seja, nem primeiro um "bom dia" saiu dali.
.
.
.
.
É isso.
Bom falar aquilo que a gente pensa.
Bom poder chamar a atenção das pessoas que não são cuidadosas.
Luísa sempre foi muito cuidadosa com seus livros, seus brinquedos, e seu tapete. E tenho certeza que ficou realmente muito chateada com a falta de cuidado da moça. E não abafou o caso.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Não queira agradar demais

Luísa esta noite foi e voltou umas 3 vezes pro meu quarto. Acordava no meio da noite, subia na minha cama e dormia novamente. Marido levantava e a levava de volta pra cama dela. Até que, já cansado, arriou e decidiu deixá-la ali mesmo. Só que quis agradá-la e "se ferrou".
Acostumado a ter que levantar no meio da noite pra fazer o tetê - sim, é ele que faz o tetê dela da noite - já tratou de ir pra cozinha e providenciar o dito cujo do tetê:


-"Luísa, toma seu tetê."
-"Pai, eu não pedi tetê! Você só traz tetê pá mim quando eu pedir, tá?"


Juro, que em algumas situações, eu perco até o sono de tanto rir.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Brincando de Natal

Lembro que quando eu era criança, minha brincadeira preferida com as amigas era "Natal".
Colocávamos todos os meus brinquedos (e olha que eu tinha bastante!) atrás da cortina laranja do meu quarto (que ia do teto até o chão!) e enquanto uma de nós dormia, a outra era o Papai Noel. Entrava atrás da cortina e escolhia os brinquedos que iria dar.

A brincadeira preferida da Lulú hoje é "escrever". Pega um caderninho e finge fazer chamada na escola e anotar as presenças e faltas, ou então simplesmente pergunta meu nome 500 vezes e anota.

Brincar é bom demais, né?
E esse foi o tema do encontro de ontem no Buffet Espaço Vila da Arte em São Paulo, promovido pelas lindas do Mamatraca , em parceria com a Joanninha.
Foi demais, meninas! Essa ideia de vocês, de reunir mães amigas, curiosas e que adoram participar, deu muito certo.
Obrigada pelo convite. Amei de verdade participar.

    

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Medo de chuva?

Eu tenho.

*

Engraçado.
Antes de ter minha filha, eu não tinha medo de chuva.

*

Teria ficado mais tranquila e me sentido mais segura se minha filha estivesse comigo na hora do "dilúvio".
Engraçado.
Ou triste?
Sei lá.
Acho que hoje em dia só sou forte quando tenho ela do meu lado.
Que medo!

E chega Dezembro...

...e parece que o tempo corre contra nós, né?

À partir de agora é, evento do marido chegando, últimos cursos "bolísticos" do ano acontecendo, festa de confraternização da escola da Lú, chá de bebê de amiga, 2 festas de aniversário para realizar, bolos, bolinhos e bolões pra fazer, e então, é Natal.
E depois do Natal vem as nossas férias!
Ah! Dezoito dias na Bahia!
Coisa melhor que isso não tem não!
**
Mas enquanto as férias não chegam definitivamente, a mãe aqui sofre de tensão, ansiedade, agitação, insônia e acúmulo de serviços. Dor no pescoço, nas costas e até de barriga. Normal. Minha única preocupação é tentar não passar isso tudo para a Lulú. Mas tá difícil. Afinal, ela participa de tudo.
**
Bom saber que posso contar com a família!
Para a festa da Lulú tem parente trabalhando de verdade!
Uma tia costura as toalhas.
Outra pinta bandejas.
Outra faz laços e bolo.
A prima faz mais laços. Porque festa da Branca de Neve é assim: cheia de laços!
A amiga faz outro bolo.
E a mãe aqui gerencia tudo, distribui funções, fecha pacotes, cola fitas, recorta bandeirolas, e pensa, pensa, pensa!
**
E que venha o fim do ano!
**
Agora tenho que ir!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

A cartinha frustrada do Papai Noel

Venho recebendo por e-mail alguns arquivos em pdf para imprimir.
São tags, convites, etiquetas, atividades, e "coloring worksheets", e ontem recebi uma cartinha do Papai Noel, bem bonitinha, para imprimir. 
Então o que a mamãe aqui fez? Imprimiu a cartinha, colocou na árvore de Natal e planejou toda uma historinha pra quando Luísa chegasse da escola.

Fui buscá-la e, ao invés de virmos direto pra casa, demos uma passadinha no shopping para dizer "oi" pro Papai Noel. Chegamos então, e cada um foi prum lado: marido pro computador, eu pro quarto e Luísa, pra sala. Tomei banho, me troquei, e quando cheguei na sala, Luísa estava com tesoura e papéis na mão, recortando tudo. Inclusive a cartinha! 
Arrisquei fazer uma cara de surpresa e perguntei o que era aquilo. Ela me disse:
-"É uma carta do Papai Noel, mamãe". Assim, sem grande importância.
Tentei ainda fazer uma festa, saindo correndo pra pegá-la e ver o que estava escrito ali. Disse até que a carta estava em inglês, mas consegui ler somente o primeiro parágrafo, já que Luísa virou as costas e foi pra sala continuar a cortar os papéis.

Estou frustada!

Obs.: o site para imprimir as cartinhas (em inglês) é este.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Dá licença, mas eu amo a Barbie

O primeiro filme de nossa série foi este:


Então veio este:


E depois este:


E agora este:



O que dizer de mim.....uma pessoa instruída e cheia de coisas pra fazer, MÃE que, além de assistir os dvds junto com Luísa todas as vezes que ela assiste - ou seja, todos os dias - ainda chora no final de cada um deles - ou seja, todos os dias? 
Hein? Alguém já viu isso? 

Me desculpa as defensoras do "não às Barbies", mas os desenhos, as músicas, o cenário, as roupas, enfim, são lindos!! E eu choro mesmo!

Obs.: Não é mesmo de se estranhar que uma mãe como eu saia às ruas "adesivada" nénão?


segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Meus primeiros apliques

E então que peguei aquela camisetinha velhinha e manchada da Luísa e colei um cupcake. Aquele vestidinho curto que acabou virando bata, mas que manchou também, colei outro cupcake. E ficou fofo!
E é bem fácil de fazer. E é uma forma de reciclar!! E economizar, né?

Obrigada Mamatracas, pela idéia, e obrigada Tia Tãnia, pela ajuda, dica, aula, e incentivo.



sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Lugar de criança em restaurante é no espaço kids

Acho inacreditável como alguns donos de restaurantes ainda não perceberam que ter um espaço kids em seu estabelecimento é necessidade, é investimento!

Entendo também que existem donos de restaurantes que não querem um estabelecimento child friendly, pois o objetivo não é este e pronto, mas...que esses caras deveriam perceber que a maioria dos clientes deles tem filhos, aaaaaaah, isso devia! 

O que acontece neste caso?
Saio pra comer uma pizza com uma amiga e filhos - Luísa e Pedro - e as crianças não nos dão sossego. Digo: "amiga, parece que são só os nossos filhos que não param, fazem barulho, são inquietos!" Ela responde: "parece mesmo!"

Dali a pouco, uma multidão de crianças (exagero significa mau humor aqui, ok?) toma conta do restaurante e aquilo vira um......não posso nem dizer o nome. Só digo que tinha crianças correndo pelo jardim cheio de plantas espinhentas (acredito que já para afastar crianças), crianças  dependuradas nos ombrelones, e debruçadas na grade da cascata, na porta de entrada, e se bobear, até na cozinha.

Enlouqueci!!!!


Como disse, entendo que deva haver preferências, opções de restaurantes para casais que não tem filhos, claro que tem que ter,  mas quando este local, este que optou pela opção child unfriendly, começa a receber mais casais com filhos, é hora de mudar, não?
Ali já não vou mais!

Vídeo bom demais

Hoje é sexta, e como sexta é dia de ficar mais light e de alegria, porque o final da semana chegou, só tenho a indicar um vídeo do Mamatraca desta semana! Como meu computador estava pifado, só vi hoje, e, do mau humor que estava me dominando, me restou só um pouco, após ver o trabalho que as meninas fizeram. Venham aqui ver!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Huuummmm...

Eu defendo sim a alimentação saudável, mas sem radicalismos, certo?
E então que ontem, nosso jantar foi arroz, feijão, ovo frito, linguiça e banana. Diga lá: alguém não gosta?
Luísa entrou na nossa e a-mou o cardápio! Boa brasileirinha!

Faltou a banana ok? Mas imaginem a banana. 

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Corrigindo o R

E então que Conrado, aquele amigo-amôi da Lú, que fala os Rs perfeitamente e exageradamente, se solidarizou e no próprio sábado do passeio, me ajudou a treinar os Rs com ela:
"- Ô Luísa, fala ba-Ra-ta.


- Ba-La-ta.


- Não. É ba-RRRRRRRa-ta.


- Baaaaaaaaaaaaa-La-ta.


- Fala ca-RRRRRRRRe-ta.


- Caaaaaaaa-Le-ta.


- Ca-dei-Ra.


- Ca-dê-La.


- Ô Luísa, fala pan pã Rã Rã Ran.


- Pan pã Lã Lã Lan.


- Não, Luísa. É pan pã Rã Rã RRRRRRRRan".


E ela:

- "Pan pan..."

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Que título daria...

...para este post, se você fosse uma mãe que, além de deixar a filha colar praticamente uma cartela inteira de adesivos grandes da Barbie em você - sim! eu disse em você! nas mãos, nas pernas, na camiseta, no relógio - ainda descesse no supermercado e na padaria desse jeito, toda adesivada, e só percebesse em casa?

(a) prestenção, mãe!
(b) olhe mais para si
(c) ninguém está te olhando
(d) a coisa tá feia

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Passear com filhos dos outros

Às vezes invento de buscar filho de amiga minha pra passear e fazer companhia pra Luísa, e sempre me divirto muito: com as conversas, com as tiradas, com os arranca-rabos, enfim...com a amizade infantil.
E porque filho dos outros não nos desobedecem. Filhos dos outros não fazem manha, se comportam e a gente até pode chamar a atenção deles sem o menor constrangimento. É legal! Experimente!

Lulú tem um amiguinho que ela chama de amôi. O Conrado. Ou Con.
Como a mãe dele - muuuuuuuuuuuito minha amiga -  trabalha aos sábados até mais tarde, não me custa nada levá-lo pra passear com a gente, já que é uma criança super obediente, educada, e acima de tudo, Luísa adora.

Prefiro ir a lugares sem muita aglomeração de gente, porque mooooooorro de medo da criança sumir, e geralmente acabo me preocupando mais com o filho dos outros, do que com a minha própria.

Mas algumas das tiradas do final de semana foram:

Conrado para Luísa: "Luísa, acho que a gente não devia seR namoRados (ele fala o R supeR bem!). A gente ainda é cRiança!"

Luísa para Conrado: "Ah, Con, mas eu gosto tanto de você! Você é tão lindo! Né, mãe? Ele não é uma belezinha?"

Formiga morde o pé da Luísa e ela surta, chora, grita, esperneia! Conrado para ela: "Coitadinha de você, Luísa! Será que você vai conseguiR andaR?"

Conrado pedindo algodão doce: "Ô Tia Nanda, eu queRo alRRodão doce"


Conrado percebe uma crista de moicano na cabeça de um avestruz (acho que era avestruz!) e diz: "Ô Tia Nanda, ele tem cabelo morecano!"

Com o passar das horas, as crianças começam a ficar cansadas e com sono, e aí o bicho começa a pegar, né? Luísa comenta: "Ô Con, é o sono que faz isso com a gente, né?"


Final do passeio, levo Conrado de volta pra casa. Luísa fica inconformada por ter que se separar do amigo, chora um pouco, mas em menos de 1 minuto já está dormindo no cadeirão.
Valeu o dia, o passeio e a companhia do amigo.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

"A" de...

Não tem jeito melhor que começar o dia com uma tirada engraçadinha da filha, tem? Olha só:
No banho, Luísa pergunta:
-"A de quê, mamãe?"
-"A de amor, de tia Ana, de avião, de azul..."
E aí ela vem:
-"A de amarelo, e de I love you!"
Tem como não sorrir!
Tem como não querer que o dia seja assim, cheio de sol?
Beijos e um super ensolarado final de semana pra todo mundo!!

A de I love you. Que-de-mais!


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Pedido de socorro e dois tombos seguidos

Dois tombos da cama, muita disposição da filha e muita preguiça do pai.
Este é o resumo do feriado que passou.

Vem cá:
Será que sou só eu que canso de ouvir "MÃE" e todas as suas variações, o-tem-po-to-do?
E será que é só o meu marido que de vez em quando se finge de surdo?
Por que será que os filhos, nesta fase, só querem saber da mãe? E o pai? Dá pra chamar ele um pouquinho?
Alguém me ajuda? Alguém me dá férias? Please!
*
*
E aí o feriado acaba, tudo volta ao normal, a filha volta pra escola e eu fico aqui, com uma saudaaaaaade!
*
*
Os tombos foram novidade por aqui.
O primeiro foi no domingo a noite. Luísa pulava, cantava e dançava em cima da minha cama, até que "BÚM" caiu. O susto foi grande, porque ainda chorando, ela fez xixi (de susto, acho) e depois vomitou (leite com chocolate). Então até chegar toda a informação na minha cabeça de que só deveria me preocupar muito e sair correndo desesperadamente se ela tivesse vomitado sangue ou tivesse tido convulsão, me preocupei um bocado.
O segundo tombo foi na segunda, só que desta vez ela estava dormindo e caiu.
Deste tombo ela nem lembra.

domingo, 13 de novembro de 2011

Ensina-se preconceito

Tia da escola, para mim:
"Mãe, hoje a coordenadora chamou a atenção da Luísa, porque ela falou para a Aninha* que ela é nega. Aí a Aninha foi se encolhendo e nem quis mais brincar. A tia falou pra ela que não pode ter preconceito, que a única diferença é a cor da pele, mas que.......bláblábláblá...".

Eu, para a tia da escola:
"Tia, em primeiro lugar, entendo que esta fase é de descobertas e associações da Luísa, e há um mês atrás, ela veio me dizer que a Aninha é PÊTA. Eu expliquei à ela que PRETO é só o apelido do vovô, e que a amiguinha é NEGRA, assim como o PAI dela (da Luísa) é negro, o vô PRETO é negro, o tio Hélio é negro. Ela entendeu e à partir daí começou a falar direitinho, me apontando os negros conhecidos. Inclusive a Aninha.
Em segundo lugar, a cor da pele não é tratada como diferença lá em casa. Aliás, nem é tratada, sabe! Porque para a Luísa, tudo isso é muito normal. Ela convive com brancos e negros NORMALMENTE!
Em terceiro lugar, ela disse que a Aninha é NEGA porque ela ainda não fala o "R" direito. Porque eu tenho certeza que ela quis dizer NEGRA.
E por último, a Aninha é negra mesmo, e quem deve trabalhar isso são os pais DELA, que são brancos! A minha filha já é NATURALMENTE trabalhada, convivida, e amada, por brancos e negOS." 


Observações:
1- Aninha é o nome fictício da amiguinha da Luísa.
2- Aninha foi adotada por um casal branco, aos 8 meses de vida.
3- Meu marido (NEGRO) disse que eu falei tudo o que deveria falar.
Humpf!


Tá vendo onde começam a aprender o que é preconceito?

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Compras e um convite especial

Porque prometi pro marido que utilizaria tudo o que fosse utilizável para a festa da Luísa - ou melhor, as festas da Luísa. Compraria somente o indispensável mesmo.
Então hoje saí para comprar papel, copos, pratos (êpa! pratos não! me esqueci deles!), talherzinhos e guardanapinhos coloridos a lá Branca de Neve. Preciso aprontar o máximo de coisas com antecedência (a decoração, os tags, os pins, as placas...), pois os bolos, bolinhos e bolões só consigo mesmo 2 dias antes.

E já que o assunto da semana no Mamatraca é a sustentabilidade, aproveito para falar aqui que estou pedindo pra família toda juntando latas de Nescau para a decoração. E após o uso nas festas, vou continuar a usá-las aqui em casa. Depois eu mostro aqui.
Aproveito para falar também que estou super feliz por ter sido convidada para participar do primeiro evento do Mamatraca, em São Paulo, no dia 02 de dezembro. Obrigada, meninas! Será uma hooooooooooooonra, viu! Um orgulho!
E para quem quiser arriscar uma participação também, a Mamatracada irá sortear 6 convites! Inscrevam-se aqui, gente!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Kitchen Office

Acho lindo falar em HOME OFFICE, mas o que quero mesmo é trabalhar em  KITCHEN OFFICE.

Para quem me conhece, sabe muito bem que não cozinho nada! Não sei, não aprendi, não gosto, e tudo isso é culpa da minha mãe(hein?). Ou da minha avó (como assim?).


"Porque eu não precisava fazer nada antes de me casar, gente!
Eu sempre trabalhei fora! Sempre morei com minha mãe! Então ela sempre fez comida lá em casa.
E aí? E aí que me casei e me ferrei (hehe)!".
É assim que eu digo.

Lembro do meu primeiro dia em nossa casa, eu ainda grávida, telefonando para uma amiga, para perguntar o passo a passo do arroz!

Só que comecei a me interessar e me atrever a fazer doces: cupcakes, bolos, bolinhos, bolões, docinhos enfeitadinhos, bolachinhas, etc. E olha que são coisas que não dou a mínima. Mas...adorei fazê-los.

Resolvi voltar ao trabalho fora de casa (isso há um ano atrás), e voltei ao turismo. Trabalhei em uma agência, mas não dei conta da correria e parei de novo. Mas ficar em casa só, não dá. Foi aí então que decidi me aperfeiçoar nos doces.
Fiz alguns cursos já e farei vários outros, e para o início do ano que vem colocarei um outro blog no ar, para mostrar as coisas que faço e vendê-las.

Estou super empolgada, cheia de planos e feliz.
Feliz por poder voltar a cuidar da minha casa e dos meus interesses.
Feliz da vida!
Vamos ao kitchen office!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Zilhões de coisas

Ando sumida da blogosfera, pelo simples e único fato de ter zilhões de coisas pra fazer.
É rescisão de contrato de trabalho, coisas da casa, coisas de banco, e festa, festa, festa, festa!! Uma única: a da Luísa! Na verdade, duas, pois vamos fazer na escola também.

Deixo aqui um resumo dos dias desaparecidos:
- Luísa está muito ansiosa. Mamãe está muito ansiosa.
- Luísa anda chata pra caramba.
- Luísa anda manhosa pra tudo.
- Luísa anda fazendo chororô por qualquer coisa.
- Luísa fez xixi na minha cama.

Fui!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A nova escola

A nova escola da minha filha é, de longe, mais próxima da nossa casa. Tem uma área verde enorme, com uma árvore enorme, com uma casa nessa árvore, mesinhas e banquinhos sob ela. Tem professores formados, atenciosos e que parecem felizes por estarem ali. A coordenadora é super meiga, não nos tratou como fontes de renda e, acima de tudo, é mãe também. Tem projetos, atividades com os pais, reuniões bimestrais, apresentações, teatro, natação, balé e judô, além de musicalização e educação física. Tem biblioteca e sala de internet.

Pausa para falar sobre internet - essa é uma ferramenta que Luísa não domina ainda. Não sabe segurar o mouse, nem tem a menor coordenação motora para levar o cursor até onde precisa. E não acho que estou errada em não incentivá-la.

Vamos deixar a escola atual por "N" razões, mas a principal delas é a falta de comunicação entre nós e os professores. Na idade da minha filha, acho esta falha na comunicação um pecado gravíssimo.

Quer saber mais sobre o que eu penso? Então vá lá me ver no Mamatraca!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Síndrome mão-pé-boca

Já ouviram falar desta doença? Ela é causada por um vírus - Coxsackie - e é altamente infecciosa e contagiosa em crianças, geralmente abaixo de 5 anos. A filha de uma amiga minha passou maus bocados, tadinha.

Os surtos são mais frequentes na primavera e no outono, e o período de incubação do vírus dura de 4 a 6 dias.
Os sintomas são febre (nem sempre), estomatite (aftas! muitas aftas!) e aumento dos gânglios no pescoço. Depois aparecem lesões nas mãos e nos pés. Assim ó:

Síndrome mão-pé-boca

 Síndrome mão-pé-boca

O tratamento é sintomático: repouso, alimentação leve e ingestão de muita água, já que comida fica mais difícil, devido a quantidade de aftas. Enfim, a virose é auto-limitada, ou seja, ela desaparece espontaneamente com a própria defesa do organismo.
Mas vale postar, pois eu desconhecia a doença.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Sim, eles são todos iguais

Estava aqui lendo alguns posts, que falam sobre o comportamento dos filhos na idade dos 3 e 4 anos. O que dizem, o que fazem e como agem.
Então fui ao supermercado com Luísa (teimosia, hein, mamãe! pra quê insistir nisso?), e observando uma criança fazendo a maior cena na fila, simplesmente porque o pai pegou nele mais forte e doeu ('buááá!! papai me apertou e doeu!! nunca mais vou ser amigo dele!!"), cheguei à conclusão definitiva, que TODOS esses seres pequenos vem do mesmo planeta.

Mas enquanto lia esses blogs, conseguia ver e ouvir Luísa, minha filha, repetindo as mesmas frases:
"Você não é mais minha amiga", "nunca mais vou ser sua amiga", "estou muito triste com você", "vou te dar uma chinelada", e "desculpa, mãe! eu nunca mais vou fazer isso".
Incrível!
Acho que eles tem os mesmos sonhos, as mesmas aulas noturnas! Sim, porque eles devem aprender essas mesmas coisas durante o sono! É drama pra chorar, é exagero pra falar, é barulho pra chegar.
Agora, quer o pior?
Chorar se olhando no espelho!
Peguei essa cena hoje e morri de rir.
- Psiu, eu fazia a mesma coisa! E você?

A temporada de loucura começou...

Está aberta a temporada de preparativos para a festa de aniversário da Lulú.
O tema? Branca de Neve. E mamãe aqui vai dar uma de louca novamente e fazer tudo: inclusive o bolo.
Que Deus me ajude!
Deus, e quem mais se habilitar, porque tem coisa, hein, minha gente!

Tem lanterninhas, bandejas sendo pintadas, tem pins para os cupcakes, tem pirulitos de pasta americana, maçãs do amor, e lembrancinhas. Ah, e tem a toalha de mesa para costurar.
Louca, eu? Louca, sim.
Ano passado, que me atrevi a fazer tudo quase sozinha, na hora da festa só chorei (de cansaço!) e espero que este ano seja diferente.
E Luísa também vai entrar na dança! Já começou a pintar uns vasinhos que serão espalhados pela festinha.
O incrível é a dedicação com que ela me ajuda.

Fico super feliz em poder me dedicar 100% à isso, e mais ainda, em poder proporcionar à Luísa alguns momentos *craftsgirls.

* artesãs

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Usando palavras difíceis e "eu leio para meu filho"

Aprendi e acatei, que não devemos menosprezar a inteligência e capacidade que as crianças tem, de aprender e compreender as palavras. Nunca deixei de usar palavras difíceis com Luísa. Palavras do meu dia-a-dia.  Capacidade, responsabilidade, dedicação, respeito, consciência, inteligência, determinação, fazem parte do nosso vocabulário aqui em casa, e da educação que damos à ela.

E então que isso é a melhor coisa que fazemos.
Tirando o lado emocional-afetivo-materno-boquiaberto-babão da coisa, e vendo pelo lado intelectual, Luísa tem sim um vocabulário extenso, aos 3 anos e 10 meses. Usa palavras como "emocionada", "impressionada", "muito honrada" (não sei onde ela viu isso!), "apaixonada", "respeito", e várias outras, que na visão de muitos, "ainda é muito cedo, e ela não entende". Há! Tá bom! Espera pra ver!

Hoje cedo ela acordou, deu um arroto e disse:
-"Ai, mãe. Foi meu estômago!"
"Estômago", gente! Não é engraçado para uma menina de 3 anos e quase 4?

Lemos para ela desde SEMPRE!
Livros? São muitos aqui em casa.
Peças de teatro? Desde pequenininha.
Até leitura de jornal fazemos! E ela adora.
E não tem nada de facilitarmos vocabulário pra ela, não!

Às vezes, rio escondido. Outras, rio sem censura e dou um abraço nela e digo "que linda linda você!", e sempre com um orgulho que não me cabe. Orgulho este não só da inteligência dela, mas também do resultado do nosso "trabalho", que vemos a cada dia.
Eu tenho 4 meses e tô achando esse peixe azul, maior engraçado!!!!

"E o coelho disse pro rato..."
Ah sim! Eu vou pra Ubatuba mesmo e leio a apostila de acupuntura do meu pai."

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

O pé e a bunda

E hoje os pés da Lulú estão lá no blog da Bia, Mãe da Cabeça aos Pés.
Quem é que não gosta de pé de criança, hein? Mesmo sujos e com chulé, que mãe não morre pelos pezinhos dos filhos?

E esse bundão fraldado? Que delícia! Desfraldar pra quê, galera?

E como disse ontem, quem quiser mandar a foto dos pés do seu bebê para o blog da Bia, entre aqui!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Pé de neném

Estava aqui agorinha mesmo procurando uma foto do pé da Luísa para mandar para a Bia, que acaba de gerar um blog novinho em folha, o Mãe da Cabela aos Pés (muito sucesso Bia!!!!! Ele ficou lindo. O cabeçalho está fofo demais!!) e olha o que encontrei?


Vejam que Luísa era do tamanho da minha cabeça!!! Aqui ela devia estar com uns 6 dias já.
E sabem o que é engraçado? Pra mim, ela era do tamanho normal! Eu não via problemas, não enxergava que ela era pequenininha assim e muito menos tinha medo de dar banho!

Esta foto mostra que um bebê prematuro cresce, se desenvolve normalmente, e que no nosso caso, cresce até demais! Cresce além do tamanho das crianças da sua idade. Fica inteligente, come super bem - vira praticamente uma mamute, como diz minha prima.

Lembro que no período da foto, recebi a visita de uma amiga, cujo filho era prematuro também, mas ele já estava grande, com os pezinhos feito bisnaguinhas, bem redondinhos. Então eu olhei pra Luísa e pensei: "será que você vai ficar assim também, filha?".


Bem, o resultado de hoje é melhor que o imaginado.



Nesta foto, Luísa estava "guardada" de canguru. Aliás, era assim que ficava praticamente o dia todo. E de noite, era meu marido que dormia com ela sobre o peito. (porque a única vez que tentei fazer isso, adivinha onde ela foi parar?). Reparem na mão, e no pé dela!

Agora vejam o modelito Ri Happy dela de ser:

Pois é. A roupa foi comprada na Ri Happy mesmo. E era para bonecas tamanho P.

Pronto!
Agora deixa eu procurar a foto dos pés dela pra mandar pro site Mãe da Cabeça aos Pés. Mandem também! Entrem aqui.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Paguei a língua mais uma vez

Hoje Luísa está no Aquário de São Paulo com a escola.
(que minhas amigas não leiam isso!)

Depois que tanto falei pra todo mundo que achava um absurdo a escola fazer um passeio desse com as crianças, pra tão longe (porque com crianças a viagem à SP fica bem mais longe e perigosa e cheia de riscos e responsabilidades...), deixei a Luísa ir.

Convencida pela escola? Claro que não. Aliás, a escola vendeu muito bem a ideia para ELA, e não para mim. De acordo com ela, "eu sou a única quiança da escola que não vai. E eu quilia tanto ver o dinossaulinho".


"Dinossaulinho" no aquário?
Well...

Só sei que depois de ter falado que ela não iria no passeio com a escola, mas que iríamos ao parque aquático, e ela ter chorado SENTIDA, sem manha, entende? Não resisti. Mudei de ideia mesmo. Sou uma mãe de merda e pronto!

Quando chegamos hoje cedo na escola, e assim que Luísa viu o micro ônibus estacionado ali em frente, ela deu um grito tão grande, mas tão grande, mas tão grande, que vi que foi a melhor decisão que tomei.
Vá lá, filha. Bom passeio. Aproveite muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito.

terça-feira, 25 de outubro de 2011


Temos o dia do Saci,  temos morcegos pendurados na porta da sala de casa, e também temos uma festa da Branca de Neve pra organizar. É muita informação pra minha cabeça.
Mas a-do-ro!!

Ó a boquinha de medo

domingo, 23 de outubro de 2011

Novas delícias

Agora é assim: toma uma bronquinha de leve e diz:
-"Não picisa fazê esse escândalo todo!"

Tem um amigo do meu pai que ela adora.
-"Mas ele é tão lindo, né?"

-"Vai pra PQP!"
- "Luísa, o que é PQP?"
- "Ah, é vai pentear macaco!"

- "Mãe, não quélo í na casa da minha vó."
-" Por quê, Luísa?"
-" Porque ela é feia."
-"Ah, é? Não fala assim da minha mãe. Você ia gostar se sua amiguinha me chamasse de feia?"
-"Não. Mamãe. vâmo na casa da minha vó linda?"

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Farofa na fila

Nosso dia de ontem me fez lembrar do tempo que eu tinha meus ídolos musicais, e fazia loucuras quando ia aos shows, para conseguir um lugar bom pra ficar.

Dois shows deliciosos e muita expectativa, pois o bom dia da Luísa foi: "é hoje o show do Tempo de Brincar e do Palavra Cantada, né, mamãe?"

Primeiro tempo: Cia. Tempo de Brincar.
Chegamos 15 ou 20 minutos antes do início do show, e encontramos uma fila comportada, com apenas uma turminha de escola particular. Aos poucos, e sem pressa, foram chegando outros. Sentamos num lugar bom - na primeira fila - e assistimos ao show, como sempre, deslumbradas, com o carisma da dupla Valter Silva e Elaine Buzato. "Vocês são perfeitos!"

Segundo tempo: Palavra Cantada.
Chegamos 2 horas e meia antes do início do show. Delícia!
Munidas de mochila, água, lanchinho e amigos, a hora passou muito rápido, e as crianças não nos deram trabalho algum. Nem de cansaço. E sentamos num lugar bom também - na primeira fila!

Terceiro tempo: cachorro-quente de rua.
NUNCA meu marido toparia fazer isso comigo, pois ele não acha saudável.
Após o show, paramos num carrinho de cachorro-quente, pedimos um lanche, e sentamos ali mesmo, numas mesinhas de cimento. Um frio!

Fala se não lembra a época de vocês também? Menudo? U2? A-ha? Quem foi?

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

E pra amanha o que é que tem?

Tem Cia. Tempo de Brincar, na Biblioteca Municipal de Sorocaba, às 14h. Lá no Paço.

E o que mais?
Tem Palavra Cantada, também no Paço, 19:30h.
Tudo isso e muito mais, como parte da programação da Expo Literária 2011.
Para nós aqui em casa, amanhã é feriado!! u-huu!


Livros Novos

Êba!!
Chegaram nossos livros da Fundação Itaú Social. Desta vez os livros estão mais alegrinhos e MAIORES! Adoro livros grandes! hehe!

Para quem ainda não pediu os seus, acesse www.itau.com.br/itaucrianca/

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Aula de hoje (para a mamãe)

Quando eu dava aula, a pergunta que mais me faziam era:
"Mas teacher, por quê é que eu tenho que aprender isso? E onde vou usar?".

E minha resposta sempre era:
"Vai usar isso sim. Quando menos esperar e imaginar. Na mesa de um bar, por exemplo. Numa conversa informal entre amigos. É sempre bom ter pessoas com assuntos interessantes do nosso lado, e isso é um assunto interessante".

Mas hoje encontrei mais uma resposta:
"Para não sermos pais burros!"

Luísa veio com essas duas pérolas hoje:
"Mamãe, sabe onde os elefantes, leões, tigres e jabutis moram?"
E eu toda sabidona digo que  "no zoológico".
E ela:
"Não, mãe! Eles moram na Folesta Ecatolial. Lá é bem quente".

Ah é...

"Mamãe, sabia que a couve fôi é igual o bócolis?"
"Não, filha. couve flor é couve flor e brócolis é brócolis".
"Mas eles são da mesma família de legumes".

Ah é...

Saindo da rotina

Nós mães, sabemos que criança tem que ter rotina pra tudo. Porque assim é mais saudável, mais educativo, e mais fácil.

Pois bem. E hoje, com esse tempinho cinza, querendo chover e fazer sol ao mesmo tempo, nos demos ao luxo (Eu e Luisóca) de ficar na cama até mais tarde, tomar café da manhã às 10h, molhar o pão na xícara e assistir televisão até às 11h.

Afinal de contas, num dia como hoje, Luísa não precisa ir cedo pra escola, e eu não preciso ficar na correria de "dá banho, põem roupa, corre com o café e leva pra escola".
Delícia de falta de compromisso.

De vez em quando é bom que só!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Ensinando valores

E então eu resolvi dedurar o menino que jogou no mato, os jornais que deveria distribuir na vizinhança.
Mas não liguei na empresa contratante não. Liguei só na contratada. E foi assim:

-"Fulano, bom dia, meu nome é Fernanda, e eu moro aqui no Jd. Ipanema. Sábado estávamos minha filha e eu esperando meu marido no portão, quando vi o menino usando o uniforme da empresa de vocês, entrar no terreno baldio, com os bolsos cheios de jornais, e sair do terreno com os bolsos completamente vazios. E queria te contar isso, porque fiquei emputecida, pois o menino nem deve imaginar que o preço daquele jornalzinho é alto, e que ele deve ter jogado no mínimo uns 500 reais no meio do mato. Por favor, tome alguma providência".


O fulano me agradeceu, disse que sou uma pessoa super do bem e disse que ia mandar um inspetor no local para recolher o material. E não é que ele mandou mesmo? E não é que eles acharam os jornais?
(Que leu o post de ontem sabe que a intenção não era fazer o bem! hihihi..#prontofalei)

**

Luísa sabe que tudo tem valor. Sabe que para comprar alguma coisa, temos que trabalhar e ter dinheiro, e que muitas das coisas que ela tem, muitas crianças não podem ter. Então tem que cuidar. Não pode desperdiçar. Sabe também que, para mim, brinquedo quebrado é brinquedo que não se gosta ou que não se quer mais, e aí vai para o lixo. Então ela cuida. Não quebra. Porque brinquedo quebrado nem criança carente merece ganhar, certo?

Quanto ao dinheiro, ela ainda diz que é só ir ao banco e pegar, mas aos poucos vamos ensinando que não é bem isso, e que nós é que temos que ganhar o dinheiro e guardá-lo lá.

Sempre fui extremamente consumista e nunca fui de ficar fazendo continhas e é por isso que vivia no vermelho, mas hoje aprendi a me controlar, a pensar se preciso ou não daquilo e a ter prioridades, e Luísa pegou essa minha fase para se ter de exemplo. Fazemos contas aqui em casa, e ela vê isso. Mesmo não participando diretamente ainda, ela assiste aos cálculos, e ouve as programações, o que podemos ou não fazer no mês, se podemos ou não esbanjar um pouco. Com isso, acredito que ela possa aprender no futuro a se planejar, se programar, se conter, e mais ainda, saber o valor das coisas: do trabalho, do dinheiro, dos investimentos e de suas aquisições.

**

E o menino que jogou os jornaizinhos no mato?
Que tipo de educação e orientação ele teve?
Ele jogou todo aquele material fora pra poder ir embora mais cedo!
Isso é culpa de quem?

**

Não tô fazendo tempestade num copo d'água não!
É que realmente fiquei chocada com o que ele fez.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Urúca pouca é bobagem, né?

Sabe aquele dia que você pensa "porque foi que levantei da cama?", quando nada dá certo, e tudo, absolutamente tudo te irrita?
Não, não, amigas! Esse dia não é hoje, mas tem sido desde antes de ontem!

Primeiro dia de urúca:
Você faz um bolo, não dá certo e então joga toda aquela massa gosmenta fora.
Depois você faz bem casado e aquilo fica tão duro quanto uma bolacha crocante. Mesmo assim você insiste e pensa "alguém vai comê-los e gostar deles. Afinal de contas, não preciso chamá-los de bem casados. Posso dizer que são bolachinhas recheadas com doce de leite."

Segundo dia:
Então entra no carro com a bandejinha com as 15 bolachinhas recheadas com doce de leite e, ao sair do condomínio, o porteiro resolve fechar o portão, bem no meio do seu carro. Você desce e desabafa um "presta atenção, porra. Tá dormindo, é?" Nem espera a resposta, e entra de volta no carro.
Na esquina de casa, 20 segundos depois de ter xingado o porteiro, o marido faz a curva e PLOFt!..........
Lá se vão todas as 15 bolachinhas recheadas com a porcaria do doce de leite pro chão do carro.
Marido nem ousa falar nada.
Mais irritada ainda, e antes de pegá-las do chão e fazê-las voarem pela janela, você diz "amor pára o carro pra eu jogar essa merda no lixo" (ignorando totalmente a presença da filha no banco de trás, que também não fala nada).
Ele pára na esquina, mas a lixeira está há uns 200 metros longe dali. Você desce do carro, entra novamente, e diz: "o lixo não tá aqui. Dá pra ir mais pra frente ou quer que eu jogue tudo aqui no chão?". 
E ele continua sem dar um pio.
A filha observa e arrisca: "Mããããe, você jogou no lixo! Eu viiiii!", e você só diz: "pois é".
Chega na festinha, onde todos esperavam que sua contribuição fosse, no mínimo, com bem casados, carregando um pacotinho de pão, e um potinho de margarina.

Terceiro dia:
Sai na porta do seu apartamento e percebe que a faxineira do prédio está passando algo cheiroso e liso no chão. Avisa a filha que ela pode escorregar e segura a mão dela. Quando chega perto da faxineira, a filha leva um escorregão e cai de bunda no chão. A faxineira nem se mexe. Você pensa: "será que essa coisa aí tem filhos? será que ela tem sentimentos?". Continua descendo mais um pouco de escadas e PLÉFT!....
Seu chinelo arrebenta. Mas você nem pensa na possibilidade de subir as escadas novamente, nem pedir pra que sua filha fique ali (na companhia da bruxa insensível!) enquanto você sobe sozinha as escadas para pegar outro chinelo. Isso porque você se programou toda para no caminho da escola, parar no banco, no supermercado, na farmácia e na loja de cartuchos de impressora.

Quando chega em casa, decide que tem que fazer alguma coisa por si e para o Brasil. Então resolve que vai denunciar o absurdo que viu dia desses ali na frente do condomínio: um menino, desses que usam avental de empresa de panfletagem, cheio de jornaizinhos de uma grande empresa de material de construção, entrar no terreno baldio que fica em frente à sua casa, e sair pelo outro lado do terreno, com o avental vazio!!! Liga na empresa contratada, cagueta o menino e avisa que vai ligar também para a contratante.

Aproveita e liga também na prefeitura para denunciar a sujeira que está o terreno baldio, e pede para tomarem providências o mais rápido possível.

E aproveita também pra contar pro porteiro da noite que o porteiro da manhã prensou seu carro no portão.
Ou só eu tenho que me ferrar em tudo sozinha?
 
Obs. 1:  Depois que a criança repete as merdas que você fala ou faz, tem que ficar sambando pra justificar que só você pode falar e fazer merda. Só você e mais ninguém!


Obs. 2: A festinha, onde eu deveria ter levado as bolachinhas recheadas com doce de leite, foi um chá da tarde com a família, onde comemoramos o Dia das Crianças, e que foi delicioso, por sinal. Acreditem!


Agora tenho que ir, pois vou no banco, no supermercado, na farmácia e na loja de cartuchos de impressora. À pé.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Primeira sessão de acupuntura à laser

Papai fazendo acupuntura na Lulú

Será então que a figurinha gosta? Olha a cara de "pose pra foto"! Os óculos são para proteger os olhos.


Para quem gostaria de tentar a acupuntura como tratamento alternativo nos filhos, mas desiste, pois acha impossível a criança aceitar uma agulha (e é!!), maridão comprou um aparelho à laser. Ótimo, rápido e indolor, o laser atua exatamente como a agulha, e é altamente indicado para crianças, pois o efeito é mais rápido.
Aqui em casa temos a vantagem de ter um acupunturista de plantão, mas pra quem não tem, vale a pena procurar por clínicas que já possuam este equipamento.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Tempo de Brincar para o dia das crianças


E no dia 15 de outubro, eles estarão na Clínica Bozelli, às 11h da manhã. U-hu!
Overdose de Tempo de Brincar. Que delícia! Só quem conhece sabe do que eu estou falando.

domingo, 9 de outubro de 2011

Vocabulário é tudo

Dia desses, depois do banho:
-"Lú, levanta os braços pra mamãe enxugar seu suvaco".
-"Não é suvaco, mãe, já falei. É zaquecilas!"

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Foto mais linda, gente!
Um ótimo final de semana pra todo mundo!



Ah!!!! E hoje eu tô lá no Mamatraca, falando da saudade que tenho da minha barriga. Não da minha barriga dos 9 meses, porque não cheguei neles!! Eu, minha super voz de taquara rachada e mais 10 mamis. Meninas, como é difícil gravar um vídeo!! Aliás, se quiserem os "bastidores" ou "os erros de gravação", é só me pedirem!!!!! beeeeijos e AMEI participar!!